Províncias

Governador Boavida Neto exige maior sensibilidade

Sérgio V. Dias | Catabola

O governador do Bié, Boavida Neto, defendeu ontem, durante uma reunião técnica realizada na vila de Catabola, a necessidade de haver uma maior sensibilidade da sociedade para a solução dos principais problemas das populações.

Governador do Bié Boavida Neto
Fotografia: Jornal de Angola

O governador do Bié, Boavida Neto, defendeu ontem, durante uma reunião técnica realizada na vila de Catabola, a necessidade de haver uma maior sensibilidade da sociedade para a solução dos principais problemas das populações.
“Se houver sensibilidade social máxima, compreendemos melhor a disponibilização e a utilização dos recursos alocados aos organismos públicos e a essência dos problemas mais comuns que a população enfrenta”, disse Boavida Neto, durante o encontro, em que participaram directores, administradores municipais e comunais, entidades tradicionais e parceiros sociais do Governo.
O governador identificou os sectores da água, energia, saúde, educação e agricultura como prioritários para as populações do meio rural, além do combate à pobreza.
A reunião técnica do Governo Provincial do Bié analisou o programa de impacto económico e social imediato, referente a 2013, e recomendou ligeiras emendas para a futura apreciação do Concelho de Auscultarão e Concertação Social (CACS). O plano de terraplanagem das estradas terciárias dos municípios de Cuemba, Camacupa, Nharea e Chitembo, e o programa de construção de 200 fogos habitacionais também foram motivo de análise.
A reunião de Catabola deliberou a realização de um encontro com as autoridades tradicionais, para avaliar a aplicação dos projectos inseridos no “Programa de Agricultura Familiar Orientada para o Mercado”.
As administrações locais receberam ordens para definirem espaços para a requalificação e ampliação das escolas, às quais vai ser fornecida, dentro em breve, merenda escolar.
Devem, ainda, ser criados estaleiros sanitários nos municipais do Cuito, Camacupa e Andulo no âmbito de um programa denominado “Saneamento Total”, da responsabilidade da comunidade.

Tempo

Multimédia