Províncias

Governador critica mau atendimento

Matis da Costa | Cuito ; José Chaves | Andulo

O governador da província do  Bié, Boavida Neto, condenou, na terça-feira, na cidade do Cuito, o excesso de burocracia assumido pelos profissionais da Saúde no atendimento médico e medicamentoso aos pacientes que acorrem às unidades clínicas.

Boavida Neto insatisfeito com o mau trabalho
Fotografia: Edson Fabrício

Boavida Neto lamentou o facto de alguns técnicos hospitalares terem continuamente condutas que mancham o bom nome das instituições em que trabalham, por causa da má prestação de serviço.
O governador provincial exortou os profissionais do sector a mudarem de atitude diante do doente, uma vez que este precisa de ajuda médica. “Temos de combater os maus comportamentos nas unidades hospitalares”, referiu.
Boavida Neto denunciou o facto de, mesmo com medicamentos essenciais no stock do hospital, os técnicos elaborarem receitas médicas e orientarem os pacientes a comprar os remédios em instituições privadas.
O governador lembrou que os centros de saúde de nada servem se forem apenas infra-estruturas sem a prestação de auxílio sanitário à população e à assistência de medicamentos primários.
Boavida Neto defende, numa altura em que o país assinala 41 anos de Independência Nacional e 14 de paz efectiva, a oferta de um serviço de saúde digno e de qualidade para o bem-estar da população. Acrescentou que as farmácias privadas não podem ser transformadas na única fonte de aquisição de medicamentos para pacientes, que procuram nos hospitais o seu melhor estado de saúde, uma vez que a população pouco ou nada tem, em termos de recursos, para confrontar com os elevados preços dos fármacos.
Boavida Neto apela para um trabalho árduo nas direcções dos centros hospitalares e dos profissionais das respectivas áreas, com vista a melhorar-se os serviços e reafirmar-se a ética, deontologia e humanismo no atendimento ao próximo.  O responsável reafirmou o empenho do Governo no enquadramento de mais para reforçar o corpo clínico do sector e oferecer melhor qualidade de assistência médica e medicamentosa.

Bilhete de Identidade

O município do Andulo, na província do Bié, dispõe, desde terça-feira, de serviços de identificação, minimizando, assim, as dificuldades para a obtenção do Bilhete de Identidade. O delegado provincial da Justiça e dos Direitos Humanos, Mateus Balanga, disse que a abertura da Repartição Municipal de Identificação  vai reduzir a aglomeração de pessoas que se registava nas conservatórias e no sector de identificação na capital da província, Cuito. Outra vantagem apontada por Mateus Balanga tem a ver com a facilidade de os requerentes serem atendidos sem demora e obterem os documentos em pouco tempo, ao contrário do passado.
O administrador  municipal do Andulo, Moisés Cachipaco, considerou importante a abertura da nova Repartição Municipal de Identificação para servir a população que, no passado, encontravam muitas dificuldades.
O Bilhete de Identidade  já é emitido nos municípios de Cuito, Chitembo e Nharea.
Para o próximo ano, está prevista a abertura de outros postos nas regiões de Camacupa, Catabola,Cuemba e Chinguar.

Tempo

Multimédia