Províncias

Governo desenvolve acções para diminuir a tuberculose

Delfina Victorino |Kuito

O governo do Bié está a desenvolver uma série de acções com vista a diminuir os actuais 2.017 casos de tuberculose registados entre Janeiro e Março deste ano, revelou o director provincial da Saúde, Augusto Gonçalves.

O governo do Bié está a desenvolver uma série de acções com vista a diminuir os actuais 2.017 casos de tuberculose registados entre Janeiro e Março deste ano, revelou o director provincial da Saúde, Augusto Gonçalves.
Do total de pacientes, 27 abandonaram o hospital sanatório local, enquanto outros 15 acabaram por falecer, adiantou aquele responsável. Durante o ano em curso, a província registou a cura de 150 doentes, sete viram a enfermidade reaparecer e 17 sofreram recaídas, de acordo com as estatísticas apresentadas.
A tuberculose nas crianças tem sido extra-pulmonar, ganglionar, intestinal e óssea, sendo a transmissão da bactéria fruto da convivência com pessoas de família que possuem problemas de tuberculose, acrescentou.
O hospital sanatório central, que possui 135 camas para internamento, alberga actualmente pacientes provenientes de diversas partes da província e do país.
A falta de ambulâncias e outros meios de apoio tem dificultado o transporte de pacientes e a realização das restantes actividades. No entanto, o director garantiu que estão a ser desenvolvidos esforços no sentido de minimizar esta dificuldade.
Há mais de oito anos, lamentou o director, que a unidade hospitalar não recebe obras de recuperação, daí resultando o péssimo estado de degradação em que se encontram as instalações.

Novos casos de lepra

Em relação à lepra, pelo menos 30 novos casos foram detectados, nestes primeiros três meses do ano. Registou-se também a cura de l17 pacientes. A supervisão e monitorização das unidades sanitárias, bem como a distribuição de reagentes e medicamentos são as formas de prevenção e controlo da epidemia, segundo esclareceu Augusto Gonçalves.
O Programa de Controlo da Tuberculose e Lepra está vocacionado para a supervisão das actividades de rastreio, diagnóstico e tratamento de doentes e para manter a disponibilidade permanente dos medicamentos nas unidades sanitárias. Entretanto, a criação e a implementação de várias acções, no sentido de diminuir o elevado número de doentes com tuberculose, lepra, sistosomíase, VIH/Sida e oncocercose são os principais programas executados pelo governo do Bié em diversas localidades. O ano de 2015 é a meta preconizada para que se registe apenas um doente com lepra em cada 10 mil habitantes de toda a província.

Tempo

Multimédia