Províncias

Governo provincial reforça combate às ravinas no Cuito

O programa de combate às ravinas na província do Bié, para garantir a segurança e  qualidade de vida da população,  continua a merecer a atenção das autoridades locais no próximo ano, disse ontem no Cuito o vice-governador para a esfera Técnica e Infra-estruturas.

Ravinas
Fotografia: Jaimagens

José Tchatuvela, que falava em alusão ao "Dia Mundial das Cidades", assinalado sábado, afirmou que o governo provincial mantém o seu programa de estancamento de ravinas, com maior realce para as existentes nos bairros da Ilha, Catraio, São José, Catemo, Cambulucuto e  Popular.
As autoridades locais têm vindo a combater as ravinas com algumas medidas paliativas, essencialmente com base em material local, disse José Tchatuvela, que acrescentou: “Continuam a ser preocupação as ravinas do Cangangawé, do quilómetro 16 próximo ao rio Cuquema, na estrada que liga comuna do Mumbué, assim como da Missão de Catota, no município do Chitembo, 150 quilómetros a sul do Cuito”.
“As ravinas têm aumentado fruto da construção de moradias, sobretudo nas margens de rios”, disse José Tchatuvela, e salientou que a eliminação da passagem das águas das chuvas, associado ao depósito de resíduos sólidos nas valas de drenagem têm contribuído para o aumento de ravinas.
Em função do actual quadro, o vice-governador apelou à população para ajudar o Governo no combate às ravinas, através da plantação de árvores e para evitar o depósito de lixo nas valas.
Em 2014, as autoridades governamentais da província do Bié estancaram a ravina do Cuquema, a 18 quilómetros a sul do Cuito, que punha em perigo a circulação de pessoas e bens na Estrada Nacional que liga a cidade do Cuito às cidades do Huambo e Menongue.

Tempo

Multimédia