Províncias

Governo reforça estratégias de combate à pobreza

José Chaves | Cuito

O governador provincial do Bié, Boavida Neto, assegurou, na cidade do Cuito, que as autoridades vão continuar a reforçar a execução de programas socioeconómicos para o combate à pobreza no seio das comunidades.

Vista parcial da cidade do Cuito onde estão em curso vários projectos de impacto social e económico para melhorar o nível de vida da população
Fotografia: José Chaves | Cuito

Neste sentido, Boavida Neto disse que as acções vão incidir principalmente na reabilitação das vias de acesso, sistemas de distribuição de água e de energia eléctrica, melhoria dos serviços de saúde, educação e agricultura.
O governador provincial avançou que o sector da Educação é dos que mais registaram progressos, com a construção de inúmeras escolas do ensino primário e secundário dos diferentes ciclos, o que permitiu reduzir o número de alunos fora do sistema de ensino em todas as localidades do Bié.
Boavida Neto falava em torno das comemorações do Dia dos Mártires do Cuito, celebrado na última quarta-feira, em homenagem aos munícipes tombados durante o conflito armado que assolou a região.
O administrador municipal do Cuito, Avis Vieira, pediu à população para continuar a ajudar o Governo nas acções que visam contribuir para o desenvolvimento socioeconómico da província.
Quanto à situação do cemitério Mártires do Cuito, o administrador referiu que ali estão actualmente sepultados mais de sete mil corpos, que antes tinham sido enterrados, durante a guerra de 1992, em quintais e jardins. O também conhecido por “cemitério monumento” foi construído para honrar a memória dos angolanos, que, na década de 90, morreram no Cuito em defesa da Pátria, enfrentando o cerco das antigas forças rebeldes da UNITA.
O cemitério dos Mártires da Resistência do Cuito ocupa uma área de 75 mil metros quadrados e tem três serviços de apoio, sendo uma capela, casa administrativa e um museu com alguns artefactos encontrados junto dos cadáveres, como retratos, documentos e restos do material usado durante a guerra.

Circulação de comboio


A entrada em circulação do comboio dos Caminhos-de-Ferro de Benguela é considerada um dos maiores ganhos da região, uma vez que permite o transporte de pessoas e bens entre as províncias de Benguela/Huambo/Bié/Moxico, a partir da cidade do Lobito.
Desde a entrada deste serviço, os empresários e comerciantes têm conseguido escoar com maior facilidade os produtos do campo para os centros urbanos de Benguela e do Lobito. O turismo é outro sector que beneficia com a entrada em circulação do comboio. Actualmente, a região recebe muitos turistas de várias partes do país, principalmente provenientes de Benguela, Moxico, Lundas Sul e Norte, Malanje, Cuando Cubango, Huíla, Cunene, Zaíre, Luanda e Cabinda.
A nova centralidade, com seis mil casas, é outra grande acção do Executivo, no quadro das acções de melhoria da vida da população do Cuito. Neste momento, a urbanização tem já prontas cerca de 2.800 residências, entre apartamentos e vivendas do tipo T3.
O administrador municipal do Cuito salientou que está em fase de conclusão a construção de esquadras policiais, unidades dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, bem como escolas do ensino primário e infantários, com o fim previsto para Janeiro do próximo ano.

Ensino superior


Com uma população estimada em 974 mil habitantes, constituída maioritariamente por jovens, o Cuito deu igualmente um grande passo a nível do ensino superior, reconheceu o seu administrador municipal.
Avis Vieira explica que, desde a independência, a província nunca tinha beneficiado de qualquer projecto para a instalação do ensino superior, daí a grande satisfação da população, que deixa de deslocar-se às cidades do Huambo, Lubango e Luanda, para prosseguir os seus estudos.
A cidade do Cuito dispõe de institutos superiores politécnicos, com os cursos de Administração e Gestão, Enfermagem, Psicologia, Recursos Hídricos, Engenharia Informática, Comunicação Social e Pedagogia. Neste último curso, ministram-se as especialidades de Matemática, Biologia e Sociologia, entre outras.

Tempo

Multimédia