Províncias

Gravidez precoce com índices altos

Delfina Victorino |Cuito

O elevado número de casos de desestruturação familiar e de gravidez precoce no Bié devem-se em grande parte à falta de “conhecimentos sobre a vida”, disse a secretária provincial da Organização da Mulher Angolana (OMA).

Amélia Quintas também mencionou como causas para aquelas situações a “falta de responsabilidade, maturidade, compreensão e de diálogo” e referiu a importância de muitos jovens reverem o comportamento nas relações conjugais
A dirigente da OMA afirmou que “o orgulho pessoal, o desejo de fama e o exibicionismo” de alguns jovens nada têm a ver “com os valores morais e éticos das famílias tradicionais angolanas”.

Tempo

Multimédia