Províncias

Gravidez precoce preocupa autoridades

A directora do centro materno infantil do Cuito afirmou estar preocupada com o aumento de casos de gravidezes precoces em adolescentes, pelos sérios riscos de vida que constituem para as gestantes.

Fotografia: Jornal de Angola

Firmina Guilherme disse à Angop que das mais de 400 mulheres submetidas a trabalhos de parto nos últimos três meses, mais de 30 eram adolescentes, que se debateram com enormes complicações, fruto da imaturidade dos órgãos genitais.
“Este quadro não nos satisfaz e isto demonstra que os pais não têm mantido o diálogo permanente com os seus filhos, daí a razão destas gravides precoce que se vai registando nos hospitais”,  disse. Além disso, considerou preocupante a falta de cultura, por parte de muitas mulheres grávidas, em acorrerem ao hospital para a realização do parto, dificultando o controlo rigoroso das taxas de natalidade e de mortalidade materno-infantil a nível da região. Para diminuir o índice de mortalidade materno-infantil, o sector está empenhado na promoção de campanhas de sensibilização das comunidades sobre a importância do planeamento familiar para a saúde da mulher e dos filhos.

Patologias diversas

O serviço de pediatria do Hospital Provincial do Bié assiste, diariamente, mais de 50 crianças com patologias diversas, disse na quarta-feira à Angop o chefe daquela unidade sanitária, Benjamim Pacheco Nguvulu. As doenças mais frequentes na região são a gripe, doenças respiratórias agudas, doenças diarreicas agudas, malária, entre outras patologias provocadas pelo aumento do frio, sobretudo, entre as crianças.
Durante o fim-de-semana, a pediatria atendeu 158 pacientes, tendo sido internadas 41 crianças, por apresentarem um estado de saúde crítico. O Banco de Urgência Geral do Hospital do Bié assistiu, no período em causa, 328 casos diversos, com maior destaque para os acidentes de viação, com um total de 43 pessoas.

Tempo

Multimédia