Províncias

Grupo técnico criado no Andulo

Matias Costa |*

O Gabinete Central do Censo criou no Andulo, no âmbito do processo de Recenseamento Geral da População e Habitação (RGPH) que se realiza em Maio, um grupo técnico responsável pelo acompanhamento da recolha de dados.

Agentes censitários estão preparados para cumprirem com êxito as tarefas programadas para a realização do censo no próximo ano
Fotografia: Jornal de Angola |

O coordenador daquele grupo referiu  que o objectivo é coordenar, promover, dinamizar e acompanhar todas as etapas do censo na província e estabelecer a ligação com os núcleos municipais.
Lucas Bumba afirmou que os elementos do grupo vão receber formação específica e que o censo geral de 2014 permite planificar acções que contribuam para o melhoramento do nível de vida da população.
No Bié já foram apresentados os grupos técnicos municipais no Andulo, Cuito, Catabola, Camacupa, Cuemba, Chinguar, Cunhinga e Nharea.

Melhorias no Ensino

A Escola Superior Pedagógica do Cuito e o Instituto Médio dos Maristas passam a ter, cada um deles, no próximo ano académico mais oito salas de aulas, disse ao Jornal de Angola o vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, José Tchatuvela.
O director do Instituto Médio dos Irmãos Maristas, Tomás Sawaia, lembrou que com as novas salas é possível abrir mais cursos.
O programa de registo gratuito em todo o país, que se prolonga até 2016, tem registado grande adesão no Bié, confirmou o conservador dos Registos no Bie. Aníbal Lumaty disse que o registo de adultos requer “atenção especial” para se evitar que se introduzam neste processo estrangeiros que pretendem passar por angolanos.
“A apresentação da cópia do Bilhete de Identidade e a presença de duas testemunhas são das exigências para a emissão da certidão de nascimento e da cédula pessoal”, disse. A Associação de Jovens Angolanos Provenientes da República da Zâmbia (AJAPRAZ) entregou na comuna do Mutumbo, Chitembo, cem sacos de arroz, igual número de bidões de óleo vegetal, 40 cadeiras de rodas, brinquedos e instrumentos agrícolas.
Um dos beneficiários, Jonatão Miguel, louvou a iniciativa da AJAPRAZ e desejou que outras instituições lhes sigam o exemplo.
O administrador do Chitembo, Daniel Mucanda, também elogiou a AJAPRAZ, pois “os bens ajudam a suprir dificuldades que os habitantes de Mutumbo ainda vivem”.
O presidente da AJAPRAZ, Bento Raimundo, recordou que a associação trabalha na identificação das necessidades da população para depois a  apoiar.
    *Com ANGOP

Tempo

Multimédia