Províncias

Habitantes do município do Andulo em festa

José Chaves | Andulo

Andulo comemora amanhã 40 anos da elevação à categoria de vila, sob o signo do progresso e optimismo dos habitantes.
Aquela parcela do coração de Angola, que ascendeu, em 13 de Julho de 1971, a município, foi durante a guerra, devido à sua localização, palco de vários confrontos armados.

Os níveis de desenvolvimento nos mais variados aspectos são visíveis sobretudo no sector da educação com o surgimento de um Instituto Médio
Fotografia: Jornal de Angola

Andulo comemora amanhã 40 anos da elevação à categoria de vila, sob o signo do progresso e optimismo dos habitantes.
Aquela parcela do coração de Angola, que ascendeu, em 13 de Julho de 1971, a município, foi durante a guerra, devido à sua localização, palco de vários confrontos armados.
A situação levou à paralisação de muitos projectos que tinam em vista o seu desenvolvimento social, económico e cultural, mas, com o alcance da paz definitiva, em Abril de 2002, o Executivo delineou programas para o Andulo resgatar o potencial agro-pecuário no âmbito regional e nacional.
Este programa governamental, recordou a administradora municipal, deu origem ao surgimento de várias infra-estruturas sociais, administrativas e económicas que, desde 1999, garantem maior qualidade de vida às populações.
Os níveis de desenvolvimento nos mais variados aspectos, frisou Maria Lúcia Chicapa, são bem visíveis, especialmente no sector da Educação, pois o município dispõe de um Instituto Médio Agrário, que é uma alavanca para o relançamento de projectos agro-pecuários.
No sector da saúde foram construídos vários postos e centros e recuperadas algumas unidades, entre as quais os hospitais missionários de Chilesso e Chicumbi, e está a ser erguido o centro de saúde de Calussinga. A vida dos munícipes, referiu a administradora, tende a melhorar de forma considerável, tendo em conta as acções em curso, que têm a colaboração de agentes económicos e da população.

Execução de projectos sociais

Maria Lúcia Chicapa lembrou que há um plano de desenvolvimento municipal “para responder às reais necessidades das populações e imprimir nova dinâmica no contexto social e económico” do município.
Para este ano estão programadas várias acções nos sectores da Saúde, Educação, Energia, Água, Assistência social, Habitação, Obras públicas e outras de índole administrativa.  A construção, reconstrução e apetrechamento de escolas, na sede municipal e nos bairros de Caiuva, Canana, Chivili II e Silva, fazem parte daquelas acções.
Dento do mesmo plano está a ser construído um canil/gatil para animais que sejam encontrados na via pública e a ser feita a reparação das vias secundárias e terciárias.
O plano contempla também a construção de uma mini hídrica, a ser instalada no rio Cutato, com uma potência instalada de três MW. A albufeira vai ter seis quilómetros de extensão. A linha de distribuição de energia, com 46 quilómetros, é paralela à estrada e liga a central à sede municipal, servindo as localidades de Muenga e Chicumbi. Os custos da empreitada, avaliados em 50 milhões de dólares, são financiados pelo Governo japonês. Neste momento, está a ser reabilitada a rede de distribuição de energia eléctrica pública e domiciliária e reposto o sistema de distribuição de água potável, na sede do município.Do leque de acções do programa para 2011 fazem parte, também, a construção de um edifício para os serviços municipais de Justiça e de outro para o Instituto Nacional de Segurança Social.

Tempo

Multimédia