Províncias

Hospital com pouco espaço de internamento de doentes

Delfina Victorino| Cuito

A acomodação de dois doentes com diferentes patologias na mesma cama no hospital municipal do Cuito pode contribuir para o aumento de doenças, afirmou o director de enfermagem.

Frederico Kanequela referiu que, apesar disso, a taxa de mortalidade no hospital diminuiu significativamente, devido ao aumento da qualidade do serviço de atendimento em relação aos anos anteriores. Mensalmente regista-se, em média, uma morte no hospital.
Construído para ter 30 camas, o hospital recebe actualmente 60 pacientes por dia. Para melhorar a situação, estão a ser feitas novas obras no interior do hospital, para aumentar a capacidade de internamento e facilitar o trabalho dos profissionais de saúde.
Os casos de malária, pneumonia, febre tifóide e doenças diarreicas agudas são os mais frequentes. O número de pacientes com malária não diminui, em grande parte por negligência da população, que não usa os mosquiteiros impregnados.
“A falta de colaboração da população no tratamento preventivo das doenças tem influenciado no fluxo de pacientes internados em estado grave”, sublinhou.

Tempo

Multimédia