Províncias

Hospital Municipal do Andulo em reabilitação

José Chaves | Andulo e Elautério Silipuleni | Ondjiva

O Hospital Municipal do Andulo, 130 quilómetros a norte da cidade do Cuito está a ser reabilitado e ampliado para suportar 120 internamentos, contra os actuais 40, disse ao Jornal de Angola o administrador municipal.

A ampliação do hospital faz parte dos programas de combate à pobreza e cuidados primários de saúde levados a cabo pelo Executivo
Fotografia: José Chaves|Andulo

Moises Américo Cachipaco disse que com a conclusão no  próximo ano das obras do hospital, os serviços de saúde vão melhorar consideralvelmente, com a entrada em funcionamento de novos serviços clínicos.
O hospital, cuja construção está na fase final,  tem banco de urgência, maternidade, cirurgia, Raios X, consultas externas, pré-natal e medicina geral. Dispões igualmente de uma área de aconselhamento e testagem voluntária de Sida, pediatria e  Programa  Alargado de Vacinação.
Os serviços de saúde no Hospital Municipal do Andulo são assegurados por 85 técnicos de saúde e dez médicos. O administrador municipal informou que o hospital do Andulo recebe também doentes provenientes dos municípios de Nharea, Mussende (Kwanza-Sul)   e de outras localidades, daí a necessidade de ampliação para prestar um serviço mais humanizado.
 “Queremos melhorar e proporcionar assistência médica de qualidade à população sem ter que se deslocar para ter acesso aos serviços de saúde”, referiu, sublinhado que além das obras de reabilitação do hospital e apetrechamento com equipamentos modernos de diagnóstico, estão também em curso  outros projeto tendentes a reforçar o sistema de saúde municipal. A a reabilitação e ampliação do Hospital Municipal do Andulo faz parte dos programas de combate à pobreza e cuidados primários de saúde, levados a cabo pelo Executivo.
Moises Américo Cachipaco considerou a descentralização financeira uma medida ajustada porque permitiu um maior investimento no sector a nível local. Ainda no quadro da descentralização, disse, o município passou a dispor de oito unidades sanitárias construídas este ano, em várias aldeias e ombalas.
Acrescentou que essta nova realidade permitiu aumentar a capacidade de internamento, tornou mais eficiente o trabalho desenvolvido e melhorou os serviços de aconselhamento para a redução da mortalidade materna e infatil. Com a conclusão das obras no Hospital Municipal do Andulo, a administração pretende reforçar o número de técnicos qualificados.
O município do Andulo  tem uma população de 300  mil habitantes, distribuídos pelas comunas sede, Chivaulo,Calussinga e Cassumbi.  O Governo Provincial do Cunene prevê a construção, no próximo ano, de um hospital regional em Ondjiva para descongestionar o actual, que regista superlotação de pacientes proveniente de outras localidades. Os termos de referência para a construção do hospital regional foram apreciados e aprovados em Ondjiva durante a III sessão ordinária do Governo do Cunene, orientada pelo governador provincial, António Didalewa.
O novo empreendimento vai comportar áreas administrativas, urgência, bloco operatório, salas de internamento e conferências, unidades especiais com serviços de apoio clínico, centro de reabilitação física e outros.
O director provincial da Saúde, Elautério Hivilikwa, que apresentou o plano de construção da infra-estrutura, justificou a necessidade de um novo hospital para permitir que as pessoas sejam assistidas de forma humanazada e evitar grandes enchentes na unidade sanitária existente existe na em Ondjiva.
O Hospital Geral de Ondjiva foi concebido para apenas 250 camas, mas esta capacidade foi ultrapassada há muito, devido ao aumento de pacientes provenientes de diversos pontos da província e de outras localidade vizinhas.
O governador do Cunene, António Didalelwa, admitiu que a construção do novo hospital regional é urgente para reduzir o número de angolanos que procura assistência médica e medicamentosa na vizinha República da Namíbia.
António Didalelwa explicou que a proposta consta do orçamento da província do Cunene para 2014 e que vão ser feitos todos os estudos necessários junto do Ministério da Saúde para a identificação do local adequado para a sua edificação.

Tempo

Multimédia