Províncias

Hospital sem bolsas para recolha de sangue

João Constantino| Cuito

A ruptura de bolsas para a recolha e armazenamento de sangue no Centro de Hemoterapia do Hospital Provincial do Cuito pode perigar a vida dos pacientes internados na maior unidade hospitalar da região, alertou ontem a directora do Hospital Geral do Bié.  

Hospital Geral do Bié com dificuldades de material para fazer as transfusões de sangue
Fotografia: Nilo Mateus| Edições Novembro

Mariana da Conceição Fernandes apelou às pessoas de boa-fé no sentido de colaborarem na aquisição de tais equipamentos que facilitam a colheita e armazenamento do produto na única unidade de sangue existente no município do Cuito.
 “Neste momento estamos com dificuldade de material para fazer as transfusões  de sangue em tempo oportuno.  Antes o Hospital adquiria materiais para o banco de sangue, porque tínhamos apoio da Banco  Nacional de Sangue, que periodicamente mandava os testes, as bolsas de sangue e às vezes alguns equipamentos”, disse.
A directora do hospital esclareceu que desde o momento em que o país entrou em crise, o orçamento diminuiu e   regista-se falta destes produtos e pouco que aparecem são comercializados no mercado a um preço alto.  Mariana da Conceição Fernandes  reconhece haver  problemas básicos, realçando que até os exames de rotinas que são necessários todos os dias têm sido limitados, dado que os reagentes   são insuficientes para atender as áreas consideradas prioritárias
“O banco de sangue é a unidade do hospital que mais gasta do nosso orçamento. Para além das bolsas de sangue temos também de comprar os testes de despistagem das doenças transmissíveis e  material gastável”, disse Mariana da Conceição Fernandes  . O responsável do Centro de Hemoterapia, Álvaro Soares, apelou à população a solidarizar-se e apoiar  o hospital.  O secretário do Conselho Provincial da Juventude, Jonatão Cassapi, garantiu a total disponibilidade da juventude para doar sangue, mas a falta de bolsas na hemoterapia pode inviabilizar a pretensão dos doadores.
“Temos programas para doarmos sangue nas unidades hospitalares da província.  A brigada jovem solidária, dentro das suas prioridades,  faz a doação deste produto importante para vida humana”, disse o secretário do Conselho Nacional da Juventude.

Tempo

Multimédia