Províncias

Hospital tem falta de médicos oftalmológicos

O Hospital Central do Bié necessita de dois médicos especializados em oftalmologia para reforçar o atendimento dos pacientes, informou o chefe de enfermagem daquela unidade sanitária, Eduardo Elombo Caiangula.

Falando à Angop sobre o quadro clínico da enfermidade, o responsável sublinhou que o Hospital Central do Bié conta apenas com dois médicos especializados na área, insuficientes, tendo em conta o elevado número de pacientes que são atendidos diariamente.
A unidade sanitária atende diariamente cerca de 30 doentes com problemas oftalmológicos, provenientes de diversas localidades da província.
Eduardo Elombo Caiangula disse ainda que entre as doenças que têm aparecido no Hospital Central do Bié destacam-se glaucoma ocular, assim como alguns problemas associados com a oncocercose e diabetes. Sem revelar o número real de consultas realizadas este ano, o responsável pontualizou que casos mais complicados têm sido encaminhados para a província de Benguela, onde existe uma unidade sanitária de referência e com melhores condições de atendimento dos enfermos.

Hospital do Balombo

Um total de 91 pessoas morreram vítimas de malária, doenças respiratórias agudas e diarreicas agudas, parasitoses intestinais e febre tifóide, de Julho a Setembro deste ano, no hospital municipal do Balombo, nordeste da cidade de Benguela, menos uma morte em relação ao trimestre passado.
O director-geral daquela unidade sanitária, José Sacatengue Ngongo, que não detalhou os números de óbitos por doença, disse que a maioria das mortes registou-se em crianças menores de 14 anos. O responsável referiu que, durante o período em referência, o hospital municipal do Bolombo atendeu 41.800 doentes em várias especialidades, com destaque para medicina, pediatria e puericultura.
Acrescentou que o atendimento sanitário tem vindo a melhorar desde o primeiro trimestre do corrente ano, em função das consultas de rotina efectuadas pelos médicos nas unidades sanitárias da periferia.
Actualmente o hospital conta com sete médicos, sendo quatro angolanos e três expatriados, 37 técnicos de enfermagem e 72 auxiliares de enfermagem, número que considera ainda insuficiente para atender os  serviços de medicina, pediatria, nas enfermarias de adultos e pediatria.
O hospital municipal do Bolombo, com capacidade instalada para 68 camas, tem  actualmente internados 174 doentes nas enfermarias de medicina, pediatria, maternidade, isolamento, sala de observação e centro de nutrição.

Tempo

Multimédia