Províncias

Idosos dedicam tempo à produção de alimentos

Delfina Victorino | Cuito

Idosos residentes no lar da terceira idade “Elavoko lyo Mwenho”, que em português significa “Esperança de Vida”, no município do Cuito, província do Bié, dedicam parte do tempo ao cultivo de vários produtos, para reforçar a dieta alimentar.

Lar da terceira idade do Bié acolhe mais de 60 idosos
Fotografia: Edson Fabrízio | Edições Novembro | Cuito

Segundo o director do lar, Caridade Massoli, para economizar o valor mensal do fundo de maneio para a assistência dos idosos, foi criado um espaço, com cerca de um hectare, para o cultivo.

“Tendo em conta a actual situação financeira, a instituição tem criado mecanismos para fortalecer e diversificar a alimentação dos idosos, com a cultura de diversos produtos, o que também serve como terapia ocupacional”, disse Caridade Massoli, acrescentando que já não há necessidade de se comprar legumes, hortícolas e algumas frutas. Em relação aos fertilizantes e às sementes, Caridade Massoli disse que são adquiridos nos mercados paralelos. “Para esta campanha agrícola, o lar da terceira idade pretende colher grandes quantidades de milho, soja, repolho, alface, feijão manteiga, banana, tangerina e outros frutos”, garantiu.

Doações
O lar da terceira idade “Elavoko lyo Mwenho” tem beneficiado de apoios de igrejas e pessoas singulares, que doam alimentos e bens diversos, segundo Caridade Massoli.
O director do lar sublinhou que o regulamento sobre o tratamento dos idosos orienta a implementação de sobremesas, facto que está a ser difícil, devido à actual situação financeira.
Caridade Massoli esclareceu que os idosos têm sido assistidos de forma periódica pelo único médico que o Bié possui especializado em doenças da terceira idade.
O número de idosos no lar, ainda de acordo com Caridade Massoli, aumentou de forma considerável nos últimos meses. “Eles vêm de todas as províncias”.
O lar da terceira idade “Elavoko lyo Mwenho” tem capacidade para albergar 56 idosos, mas actualmente acolhe 63. Caridade Massoli declarou que um milhão de kwanzas é o valor mensal disponibilizado para as despesas correntes. Segundo Caridade Massoli “a estadia de um idoso sem debilidades de saúde ou física custa 35 mil kwanzas por dia, enquanto que com problemas de saúde chega a custar diariamente 45 mil kwanzas, porque necessita de uma vigilante, para o controlo pessoal, aquisição de fraldas descartáveis e medicamentos específicos”.

Tempo

Multimédia