Províncias

Inspectores de Educação são capacitados

José Chaves | Andulo

Inspectores do sector da Educação da província do Bié, colocados nos municípios de Andulo, Nharea e Kunhinga, terminaram na terça-feira um seminário de formação, no Andulo.

Os inspectores analisaram os problemas que as escolas da província enfrentam
Fotografia: Jornal de Angola

Inspectores do sector da Educação da província do Bié, colocados nos municípios de Andulo, Nharea e Kunhinga, terminaram na terça-feira um seminário de formação, no Andulo. Orientado por inspectores da direcção provincial da Educação, o seminário foi frequentado por 15 inspectores que, durante dois dias, abordaram questões relacionadas com a actividade de inspecção no exercício das suas funções, desenvolvimento das capacidades metodológicas, técnicas e instrumentos no exercício da sua profissão.
Analisar os problemas que as escolas enfrentam, possíveis causas e soluções, definir os problemas segundo cada nível de responsabilidade, a escola, inspecção e órgãos centrais foram outros temas abordados no encontro.
Os participantes realizaram actividades práticas, que culminaram com visitas a algumas escolas e incidiram em ciclos de inspecção, fichas para a caracterização das instituições, diagnóstico inicial da escola, diário de campo, plano de acção, entre outros. O chefe da repartição municipal de Educação do Andulo, António Caliqui, pediu aos formandos que trabalhem com afinco na supervisão das actividades de inspecção para se combater o absentismo laboral. Sublinhou que o trabalho de inspecção é duro, mas com o empenho de todos pode obter resultados positivos. Além disso, salientou que o inspector não deve fiscalizar apenas o professor e as escolas, sendo também obrigado a ser exemplo, inclusive na família. Os participantes recomendaram às administrações municipais e repartições de Educação que melhorem as condições de trabalho dos inspectores e das representações da comissão de pais nas actividades de inspecção.

Abertas as inscrições para preencher vagas

O chefe de secção municipal de Educação do Andulo disse ontem que apesar de este ano irem ser admitidos 126 novos professores e agentes de educação, no quadro do concurso público do Ministério da Educação, existem ainda 976 vagas na província do Bié.  Explicou que o número de vagas disponível para o Andulo é insuficiente, a julgar pelo número de alunos que se encontram fora do sistema do ensino, estando por isso abertas as inscrições desde o passado dia 14 de Fevereiro até ao fim da primeira quinzena deste mês.
Os candidatos vão concorrer para as vagas de professores auxiliares do ensino primário, do I ciclo diplomados e do II ciclo do 6º e 8º escalões.  Este ano, há 92 mil alunos matriculados no município que dispõe de 1.600 professores em todos os subsistemas de ensino.
O Andulo possui 208 escolas, sendo três de ensino médio: Instituto Médio Agrário do Andulo (o maior instituto médio do Bié), Escola de Formação de Professores e uma do II ciclo.

Tempo

Multimédia