Províncias

Instituto Simione Mucune promove jornadas científicas

O Instituto Médio Comercial e Industrial “Simione Mucune”, localizado no município do Cuito, no Bié, realiza desde ontem jornadas científicas denominadas “Comandante Simione Muncune”.

Alunos do Instituto Simione Mucune entram para mais uma aula
Fotografia: Eduardo Pedro

O Instituto Médio Comercial e Industrial “Simione Mucune”, localizado no município do Cuito, no Bié, realiza desde ontem jornadas científicas denominadas “Comandante Simione Muncune”.
Nas jornadas, que visam saudar o dia do desaparecimento físico em combate do seu patrono, ocorrido a 23 de Outubro de 1999, na vila do Andulo, os estudantes daquela instituição incluem visitas ao cemitério monumento, onde vão efectuar a deposição de coroas de flores no túmulo dos heróis tombados pela pátria.
De acordo com o programa a que a Angop teve acesso, os estudantes vão igualmente visitar o Comando da 4ª Divisão, complexo casas lares, Instituto de Administração e Gestão, a pediatria e Comarca do Bié. Actividades desportivas, recreativas e culturais constam também do programa da jornada Simione Mucune
Na abertura do evento, o chefe do departamento da Educação do Bié, Basílio Caetano, em representação do governador da província, Álvaro Manuel de Boavida Neto, disse que falar de Simione Mucune é falar de um combatente que contribuiu para a defesa integral da pátria e em especial desta parcela do país, razão pela qual enalteceu a iniciativa da direcção da escola e dos seus estudantes.
Disse ainda que, com uma trajectória invejável, Simione Mucune constituiu uma referência obrigatória, tendo ainda avançado que, por si só, é um modelo que conseguiu transmitir coragem, tenacidade, unidade nacional a todos que, de arma na mão, não mediram esforço para a defesa da pátria.
Por outro lado, o director do Instituto Médio Comercial e Industrial, Simião Cunanga, relatou que o general Simione foi protagonista de feitos que a história angolana tem registados.
Simione Mucune já era conhecido como um homem extraordinário pelas suas qualidades guerreiras, não só pelas populações do Bié, que com tanta bravura soube sempre defendê-las, mas amplamente por toda a população angolana.
Afirmou que foi um combatente implacável, incansável, servidor e consciente do seu dever de levar a bom termo a sua nobre missão de defesa da pátria, da soberania e da sua grandiosa aspiração à democracia.

Tempo

Multimédia