Províncias

Jovens da província aprendem profissões

Mais de 800 jovens frequentam a formação profissional em diversas especialidades na província do Bié, numa acção promovida pelo Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional.

Francisco Siku Tchivangulula, director do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional no Bié, disse que os jovens estão a ser formados nos centros de artes e ofícios dos municípios do Cuito, Camacupa e Andulo.
O Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional está ainda a formar jovens no centro de artes e ofícios da comuna do Cunje, sete quilómetros a norte da cidade do Cuito, na unidade móvel da comuna de Calussinga.
Francisco Siku Tchivangulula afirmou que os jovens estão a ser formados nas especialidades de culinária, carpintaria, canalização, electricidade de baixa e alta tensão, informática, pastelaria, mecânica, bate-chapas, recauchutagem, pintura, alvenaria, canalização, electrónica e corte e costura. Os cursos começaram no mês de Março e terminam em Novembro próximo.
O director do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional assegurou que, dos formandos, 664 são do sexo masculino e 147 do sexo feminino, tendo enaltecido ainda a presença de mulheres no processo de formação  profissional.
Desde o início do processo de formação profissional, em 1998, a instituição já formou 4.500 jovens em várias especialidades.

Governo aposta em latrina

Mais de 3.500 latrinas foram construídas nos oito municípios da província do Bié, no âmbito do programa “Água e saneamento”, para reduzir o índice de mortalidade, anunciou no sábado, no Cuito, a chefe da missão da Organização Não-Governamental People In Need.
Cristina Santos salientou que a organização está a desenvolver trabalhos de instalação de latrinas nos municípios do Cuito, Cuemba, Nharea, Chitembo, Cunhinga, Andulo, Camacupa e Catabola, como resultado de um estudo feito anteriormente.
Em relação à saúde comunitária, disse que, ultimamente, a People in Need tem trabalhado intensamente no combate à má nutrição aguda, através de agentes comunitários, distribuídos em oito dos nove municípios do Bié.

Tempo

Multimédia