Províncias

Leprosos inseridos em acções sociais

Delfina Vitorino | Kuito

A Cruz Vermelha de Angola, a sua congénere espanhola e o Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS) vão dar formação a doentes com lepra no Bié, para que possam usar instrumentos de trabalho que lhes vão ser fornecidos para garantirem o seu sustento.

  A Cruz Vermelha de Angola, a sua congénere espanhola e o Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS) vão dar formação a doentes com lepra no Bié, para que possam usar instrumentos de trabalho que lhes vão ser fornecidos para garantirem o seu sustento.
A directora provincial do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, Isabel Changuendela Afonso, disse que foi feito um levantamento da situação técnica e profissional dos leprosos existentes na leprosaria da província tendo-se registado que muitos não têm qualquer profissão.
“Muitos leprosos não possuem formação profissional, e, devido a dificuldades financeiras, desviam-se para comportamentos anti-sociais”, disse.
Aproveitando os centros comunitários e profissionais, o Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social pretende inserir todos os portadores de lepra em cursos de artes e ofícios. Para o efeito conta com o apoio dos centros de formação do Governo e a colaboração de Cruz Vermelha Espanhola.

Tempo

Multimédia