Províncias

Linha ferroviária quase operacional

Os trabalhos de recuperação da linha ferroviária da província do Bié afectada pelo descarrilamento de um comboio que transportava combustíveis refinados, ocorrido no sábado, deverão estar concluídos nos próximos dois dias, anunciou ontem à Rádio Nacional de Angola fonte do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB).

Obras na linha ferroviária decorrem a bom ritmo
Fotografia: João Luhaco | Edições Novembro

De acordo com informação, já foi retirado o combustível e outros equipamentos do local do incidente, que envolveu um comboio com 14 vagões de gasolina e gasóleo, pelo que a circulação ferroviária naquele troço do CFB vai ser retomada ainda esta semana.
O governador da província do Bié, Álvaro de Boavida Neto, visitou ontem o local do acidente e manifestou-se satisfeito com o andamento dos trabalhos.
A linha do CFB tem mais de 1.300 quilómetros de extensão, mantendo-se a circulação com normalidade nos restantes troços fora da área do acidente.
O excesso de velocidade terá estado na origem do descarrilamento, segundo informação prestada anteriormente à imprensa por José Fernando Tchatuvela, vice-governador do Bié para a Área Técnica e Infra-estruturas. Terá havido falta de cautela do maquinista na aproximação de uma curva considerada perigosa, perto da aldeia de Santo-Biangue, em Camacupa, informou o vice-governador.
O descarrilamento do comboio, que fazia a ligação entre o Lobito (litoral) e a cidade do Luena (Moxico, no Leste), aconteceu numa “área desabitada e de difícil acesso” do CFB.
Grande parte do combustível para as províncias do Bié e Moxico é transportada pelos comboios do CFB. No ano passado, foram transportados, entre a província sede da empresa ferroviária e as regiões do Huambo, Bié e Moxico, 47.563 toneladas   de mercadorias diversas e um total de 365.175 passageiros.

Tempo

Multimédia