Províncias

Melhor assistência sanitária

José Chaves | Andulo

As quatro comunas do Andulo, na província do Bié, viram os serviços de assistência sanitária cada vez mais expandidos, com a construção de várias unidades  clínicas, no quadro do programa de municipalização dos serviços de saúde, disse ontem o administrador municipal.

Assistência clínica está cada vez mais próxima do cidadão desde a implementação do programa de municipalização de serviços de saúde
Fotografia: Afonso Costa

Moisés Américo Cachipaco salientou que a implementação do referido programa permitiu que Cassumbe, Chivaulo, Calussinga e a sede municipal de Andulo reforçassem os serviços sanitários funcionais, o que contribuiu para que a sua população deixasse de acorrer aos municípios vizinhos para ter assistência médica. O administrador municipal do Andulo avançou que, nos últimos 14 anos, o programa permitiu aumentar de quatro para 35 unidades sanitárias, que servem uma população estimada em mais 234.791 habitantes.
Moisés Cachipaco fez saber que das 35 unidades sanitárias, três são centros de saúde, 28 postos, um centro materno-infantil e dois hospitais missionários, além do municipal, em que estão montados os serviços de maternidade, pediatria e de medicina geral.
Disse que, actualmente, aquela circunscrição, que se encontra localizada a 130  quilómetros a Norte da cidade do Cuito, tem 496 trabalhadores (médicos, enfermeiros e pessoal de apoio).
Assegurou que os serviços de saúde no Andulo funcionam bem, na medida em que o município não regista nenhum surto epidemiológico e todas as unidades têm medicamentos essenciais para atender as patologias diagnosticadas.
O administrador Moisés Cachipaco sublinhou que a Direcção Municipal da Saúde desenvolve actividades de sensibilização sobre os cuidados para prevenção de doenças e redução do paludismo, doenças respiratórias, casos de malnutrição e outras enfermidades mais frequentes.

Tempo

Multimédia