Províncias

Mercado de trabalho é reforçado no Bié

Delfina Victorino| Cuito

Mais de 200 jovens foram formados este ano na província do Bié, pelo Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP), e colocados no mercado de trabalho.

O director do INEFOP no Bié, Francisco Siko Tchivangulula, disse ontem que a acção formativa durou cinco meses. Francisco Siko Tchivangulula referiu também que os centros de formação, através do INEFOP, criaram condições para ajudar os formandos a beneficiar do programa de fomento do auto-emprego, com a criação de pequenas e médias empresas de prestação de serviços.
Vários materiais de carpintaria, alvenaria e de canalização foram entregues aos recém-formados, para darem início à actividade profissional de forma individual, de acordo com Francisco Siko Tchivangulula.
“Actualmente existe grande adesão de jovens aos centros de formação profissional, devido às necessidades do mercado”, disse o director do INEFOP, acrescentando que a juventude no Bié tem apostado nas actividades do empreendedorismo.
Francisco Siko Tchivangulula disse que nos últimos dois anos têm surgido na província do Bié novos projectos empresariais, que facilitam o ingresso ao mercado de trabalho de jovens formados em várias áreas pelo INEFOP. Segundo o director do INEFOP no Bié, as instituições empresariais dos sectores da Energia e Águas, Hotelaria e Turismo, supermercados e fábricas de material escolar são as que mais solicitam técnicos formados pela instituição. Francisco Sico Tchivangulula esclareceu que os formandos foram incentivados a saber fazer, ser e estar, para ajudar no crescimento socioeconómico da sociedade.

Tempo

Multimédia