Províncias

Município com sinal de desenvolvimento

A administradora municipal do Cunhinga, 30 quilómetros a norte da cidade do Cuito (Bié), considerou positivo os níveis de desenvolvimento socioeconómico da circunscrição, com a construção de novas infra-estruturas sociais.

Várias infra-estruturas sociais e esconómicas são erguidas na localidade
Fotografia: Domingos Cadência

Celeste Adolfo Elavoco sublinhou que das infra-estruturas a serem entregues às populações constam duas escolas, sendo uma com 12 e outra com seis salas de aulas.
As populações do município do Cunhinga vão ainda ganhar um armazém comunitário, dois postos de saúde e residências para enfermeiros e professores nas localidades de Chigoti e Lonhohã, construídos no âmbito do Programa de Combate à Pobreza. O crescimento socioeconómico do município, salientou, deve-se ao árduo trabalho do Governo Provincial e parceiros sociais, que tudo fazem para garantir o bem-estar das comunidades naquela parcela do país.
Celeste Adolfo Elavoco disse que em 2002, o município tinha apenas uma escola de construção de raiz e passados 13 anos, possui 26 escolas e milhares de alunos a frequentar as aulas.
No sector da Saúde em 2002, o município do Cunhinga tinha duas unidades hospitalares, mas actualmente existem 17 instituições, entre hospitais, centros e postos de saúde.

Pessoas atacadas por cães

O sector da Saúde na província do Bié notificou em 2014 mais de duas mil mordeduras de pessoas por cães e gatos, suspeitos de terem raiva, situação que continua a preocupar as autoridades sanitárias.
O chefe do departamento de Saúde Pública e Endemias, Isaías Sambunga Cambissa, sublinhou que as mordeduras culminaram com a contaminação de 23 pessoas com raiva, com igual número de mortes. Em relação a igual período anterior, 2013, informou ter havido a diminuição de 15 casos, fruto da realização de campanhas de vacinação de animais de estimação.
No programa de combate à raiva, referiu, além do sector da Saúde participam sectores da Comunicação Social, Agricultura e Desenvolvimento Rural, Direcção da Família e Promoção da Mulher, administrações municipais, entre outros, sobretudo na mobilização e sensibilização das comunidades.
O departamento veterinário da Direcção Provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural no Bié  realiza anualmente campanhas de vacinação de rotina, bem como a recolha de animais vadios que deambulam pelas ruas da cidade e periferia dos bairros.
Isaías Sambunga Cambissa reforçou o apelo à sociedade no geral, sobretudo os criadores de animais de estimação, no sentido de os guardarem nos quintais, sobretudo os cães, para reduzir o seu número nas ruas, assim como aderirem às campanhas de imunização.

Tempo

Multimédia