Províncias

Nharêa encerra escolas por falta de professores

João Constantino | Nharêa

Mais de 100 escolas encontram-se encerradas por falta de professores nas zonas rurais do município da Nharêa, província do Bié, o que vai fazer com que mais de 11 mil crianças fiquem sem estudar, no presente ano lectivo, apesar de estarem já dentro do sistema de ensino, segundo a administradora Maria Lúcia Chicapa.

Sede municipal vai contar com mais três escolas para acolher mais crianças no sistema de ensino
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

A administradora de Nharêa disse à rádio local que o problema da falta de professores no município permanece, pois, para este ano lectivo, apenas receberam 24. “É um número quase insignificante, se olharmos para as mais de 11 mil crianças já matriculadas, deste o ano passado, que continuarão sem estudar”.
Maria Lúcia Chicapa falava à margem da visita do vice-governador provincial do Bié para o sector Político e Social, Carlos da Silva, às obras de três escolas, que se encontram em fase conclusiva.
“No acto de abertura do ano lectivo vamos inaugurar mais três escolas aqui na sede do município. Uma com quatro salas de aula, outra com seis e a última com oito salas, para acolher mais crianças no sistema de en-sino”, anunciou Carlos da Silva. Durante a sua visita de trabalho ao município de Nharêa, o vice-governador do Bié reuniu-se com os membros da administração local e com a administradora Maria Lúcia Chicapa, que expôs algumas dificuldades que o município enfrenta, no que concerne às vias de acesso às comunas e aldeias.
A província do Bié debate-se com falta de professores, daí o grande número de crianças fora do sistema do ensino público.
O número de crianças que podem ficar sem estudar no presente ano lectivo ronda os oitenta mil, segundo o governador  do Bié, Pereira Alfredo, durante a tomada de posse do novo director do Gabinete da Educação, António Manuel.

Tempo

Multimédia