Províncias

Obras Públicas estancam ravinas

Mário de Carvalho | Cuito

As ravinas nos bairros Catraio e Chissindo, no Cuito, província do Bié, encontram-se estancadas desde o final do ano passado, de acordo com o director das Obras Públicas, Fernando Chatuvela.

As ravinas nos bairros Catraio e Chissindo, no Cuito, província do Bié, encontram-se estancadas desde o final do ano passado, de acordo com o director das Obras Públicas, Fernando Chatuvela.
“Já foram intervencionadas as ravinas dos bairros Catraio e Chissindo com sucesso, utilizando o método de aplicação de solos combinado com drenagens e construção de caixas para a recolha das águas e o seu encaminhamento ao leito do rio”, afirmou.
Fernando Chatuvela acrescentou que a sua instituição prevê, para o presente ano, o controlo e eliminação de ravinas na cidade do Cuito, província do Bié.
De acordo com o director, estão em curso, há algum tempo, obras com custos elevados e os resultados obtidos são considerados satisfatórios. O responsável acrescentou que nos locais onde existiam as ravinas foram plantadas algumas espécies vegetais para o asseguramento das camadas superficiais dos solos, principalmente onde ocorrem as erosões.
Nas zonas onde as ravinas foram contidas, lembrou, está em curso um processo de aproveitamento para a reutilização como lugares de lazer.
“No Chissindo, criamos um desnivelamento nos taludes, no sentido de poder transformar o local num espaço de diversão da população”, destacou o director provincial das Obras Públicas.
Segundo Fernando Chatuvela, os custos para o controlo e combate à ravina do Chissindo rondaram os 250 milhões de kwanzas e outra do bairro Catraio com um investimento similar. A maior ravina da cidade, situada no bairro Câmara, pelos estudos realizados, o seu estancamento está avaliado em cerca de 650 milhões de kwanzas.

Tempo

Multimédia