Províncias

Paralisação de projecto desagrada à população

José Chaves | Nharêa

Habitantes da província do Bié manifestaram-se ontem preocupados com a paralisação, há mais de dois anos, do projecto agrícola “Terra do Futuro”, que estava a ser desenvolvido no município da Nharêa.

Mais de 60 fazendas vão ser criadas na região para ajudar a garantir segurança alimentar
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

Munícipes ouvidos pelo Jornal de Angola lamentam o estado de abandono do projecto e pedem a quem de direito a sua reactivação.
Faustino Cahanli, agricultor do Andulo, afirmou que a implementação do projecto contribui para o desenvolvimento sustentado da região e proporciona emprego. Artur Soneha, residente na vila de Nharêa, disse que o projecto pode contribuir para reduzir a importação de alimentos produzidos em Angola e para o crescimento da economia.
A primeira fase do projecto permitiu reabilitar 65 quilómetros da estrada que liga a sede municipal de Nharêa à comuna do Dando. Também foram construídas dez residências e preparadas dez fazendas.O projecto está a ser desenvolvido na comuna do Dando, município de Nharêa, numa área de cinco mil hectares, com o financiamento do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA).
Para permitir que o projecto atinja os seus objectivos, está em curso a reabilitação de uma via de 85 quilómetros de extensão, a requalificação de pontes e a preparação de 24 hectares, para a instalação de vários serviços de apoio. 
O projecto “Terra do Futuro” tem como finalidade a incubação de fazendas agrícolas e é gerido por jovens empreendedores. Numa primeira fase, são instaladas 60 fazendas, com 250 hectares cada, na comuna do Dando, a 80 quilómetros da sede municipal de Nharêa.
O projecto permite que cada fazenda esteja sob responsabilidade de um jovem, com um nível médio ou superior em agronomia.
Estão  pré-seleccionados 15 candidatos, dos 45 previstos, que aguardam a conclusão das obras nas fazendas, depois de terem passado por um exigente critério de avaliação.
À semelhança do que acontece no Cuanza Sul, onde mais de 20 jovens fazendeiros receberam casas, terras, tractores e alfaias agrícolas, jovens do Bié, alguns dos quais estudantes do Instituto Médio Agrário do Andulo, também vão ser fixados no campo.
O projecto “Terra do Futuro”, que visa o desenvolvimento socioeconómico da região, foi lançado em Fevereiro de 2014. Tem  uma área de 250 hectares e já garantiu mais de 100 postos de trabalho.

Tempo

Multimédia