Províncias

População sensibilizada para o perigo da doença

As autoridades sanitárias da província do Bié intensificaram, este ano, as acções de mobilização e sensibilização das populações sobre o perigo da tuberculose, visando combater a disseminação da doença no seio das famílias ao nível desta região, disse ontem o supervisor da luta contra a enfermidade.

Autoridades aconselham a conhecer o estado serológico por ser fundamental no controlo do VIH
Fotografia: Dombele Bernardo


Isaías José Chicapa Lemos sublinhou que a acção enquadra-se na estratégia da instituição que visa reduzir as mortes por causa da doença, salientando que a sensibilização tem sido realizada nas instituições religiosas, estabelecimentos escolares, de modo a esclarecer os sinais e sintomas da doença e suas consequências, e sobretudo elucidar a sociedade de que o tratamento da patologia é gratuito.
Para assegurar o controlo e o funcionamento das unidades sanitárias que tratam a tuberculose, Isaías José Chicapa Lemos disse que a instituição regulou o mecanismo de aquisição e abastecimento de medicamentos, material gastável, reagentes e outros consumíveis a nível dos municípios. Outros desafios daquela instituição são garantir que todos os doentes com tuberculose conheçam o seu estado serológico de VIH/Sida e orientar os doentes em tratamento de modo a cumprir as normas estabelecidas pelo programa de luta contra a doença.
Para conter o surgimento de novos casos, a direcção da Saúde intensifica a busca activa de novos pacientes com a doença a nível da comunidades e aumenta as visitas de supervisão.
Durante o ano de 2015 foram notificados na província do Bié 989 pessoas com a doença, menos mil e duas em relação ao período anterior, que resultaram em 112 óbitos, mais 47 que o período anterior.
O supervisor da luta contra a enfermidade explica que o doente com tuberculose demora normalmente oito meses, sendo a primeira fase intensiva, dois meses, e a segunda “ambulatória”. É nesta fase que os doentes não cumprem devidamente, devido a negligência e outros motivos não referenciados.

Tempo

Multimédia