Províncias

Prevenção de doenças em análise na província

Delfina Victorino|Cuito

As autoridades sanitárias da província do Bié apostam na criação de mecanismos de prevenção de doenças, por meio da investigação das causas, visando a redução dos gastos financeiros feitos pelo Estado, segundo o chefe de Departamento de Estatística e Planeamento da Direcção Provincial da Saúde.

Fotografia: DR

Ruben Candimba explicou que a existência de uma co-missão de gestão nas unidades sanitárias é necessária, para avaliar o nível de gastos.
O responsável do Departamento de Estatística e Planeamento da Direcção Provincial da Saúde sugeriu a necessidade de o Estado pensar na mudança de actuação com os pacientes após a sua saída das unidades hospitalares, com o objectivo de serem conhecidos os gastos em medicamentos, durante o tratamento.
Para Ruben Candimba, o trabalho de sensibilização sobre prevenção de doenças após a alta hospitalar dos pacientes deve ser feito por uma comissão específica de gestão, a ser criada.
“Com a aplicação do método de responsabilidade ao paciente, depois de um trabalho de sensibilização e apresentação dos gastos feitos pela unidade sanitária, o Estado poderá reduzir os gastos financeiros, em material hospitalar”, sublinhou.
Ruben Candimba sugeriu, durante o encontro sobre o estado da saúde na região, que o “Comité de Mortes maternas” trabalhe com os membros da comissão de gestão das unidades sanitárias, a ser criada em cada município.
Para o chefe do Departamento de Estatística e Planeamento da Direcção Provincial da Saúde, com o surgimento das referidas comissões, será possível evitar-se várias situações nas unidades sanitárias. “Com estudos em unidades sanitárias, desde a inserção de medicamentos aos gastos, será possível reduzir as intoxicações do fígado e do rim”, salientou Ruben Candimba, acrescentando que a existência de equipamentos obsoletos, devido à má utilização dos funcionários, pode ser igualmente alterada, com a criação de equipas de membros responsáveis pela gestão dos hospitais.
A comissão de profissionais da Saúde, ainda de acordo com Ruben Candimba, vai ter sempre em conta a necessidade de efectuar-se um inventário para reaproveitar os equipamentos. “A informação de decisões sobre a melhor maneira de usar os recursos existentes deve ser a principal meta a alcançar”, sublinhou.

Tempo

Multimédia