Províncias

Profissionais formados na província prontos para o mercado de emprego

Delfina Victorino | Cuito

Um grupo de 600 jovens da cidade do Cuito, a capital da província do Bié, concluiu a sua formação profissional em várias especialidades que os habilita a inserirem-se no mercado do emprego.

Um grupo de 600 jovens da cidade do Cuito, a capital da província do Bié, concluiu a sua formação profissional em várias especialidades que os habilita a inserirem-se no mercado do emprego.
Entre os cursos, constam o de culinária, alvenaria, serralharia, construção civil, electromecânica, pastelaria, canalização, informática, mecânica, carpintaria e recauchutagem.  O director do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP), Francisco Siku Tchivangulula, disse que a aquisição de mais meios tem facilitado o trabalho de formação de jovens, sobretudo das zonas rurais da província. “O aumento de mais unidades móveis vai possibilitar que os beneficiados não percorram longas distâncias à procura de formação profissional para o seu primeiro emprego”.
Neste momento, disse, a instituição possui duas unidades móveis para garantir a formação de jovens oriundos dos municípios do Chinguar e do Cuemba. Desde o início do processo de formação profissional, em 1998, a instituição já formou 4.500 pessoas nas especialidades de informática, carpintaria, serralharia, alvenaria, contabilidade, culinária, mecânica auto, electricidade, electrónica e canalização.
A formação resultou de um programa contínuo desenvolvido sob coordenação da Direcção Central do INEFOP.
 Francisco Siku Tchivangulula sublinhou que os recém-formados estão dotados de conhecimentos práticos e teóricos para aderirem ao mercado de emprego em diversos sectores. O responsável pediu às unidades empregadoras para darem oportunidade aos jovens de porem em prática o que aprenderam, admitindo que com um pouco de paciência eles podem contribuir para o crescimento económico do país, uma vez que investir na juventude é garantir o futuro. Francisco Siku Tchivangulula referiu que o Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS), em colaboração com o INEFOP, tem procurado concretizar este objectivo, com a aposta na formação de jovens.

Tempo

Multimédia