Províncias

Reclusos recebem formação

Delfina Victorino |Cuito

Mais de 90 reclusos foram formados em artes e ofícios pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP) no Bié, nos últimos dois anos.

O programa é desenvolvido como forma de terapia psicológica-ocupacional dos reclusos
Fotografia: Jornal de Angola

De acordo com o chefe local do INEFOP, Francisco Sicato Chivangulula, o programa de formação está a ser desenvolvido como forma de terapia psicológica-ocupacional dos reclusos, para se integrarem na sociedade após a sua liberdade.
Além dos reclusos, a instituição formou mais de seis mil pessoas nas especialidades de alvenaria, mecânica-auto, culinária, serralharia, canalização, electricidade e construção civil, que foram lançados para o mercado de emprego.De acordo com o chefe dos serviços do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), os profissionais formados pela instituição têm sido empregados em vários sectores da actividade laboral.
“Os cursos têm a duração de nove meses”, disse Francisco Sicato Chivangulula, acrescentando que, durante o ano em curso, foram executados vários projectos ligados à expansão da formação da juventude e deficientes físicos, para a redução do índice de desemprego e a criação do espírito de empreendedorismo.
O projecto “distribuição de kit”, incrementado pela direcção-geral do INEFOP, de acordo ainda com o responsável, está a permitir a criação de pequenas empresas de prestação de serviços.

Tempo

Multimédia