Províncias

Rede de distribuição está a ser melhorada

Mais de 600 mil pessoas passam a ter acesso à água potável na província do Uíge após a conclusão das obras dos sistemas de captação, tratamento e abastecimento, disse à Angop o director do sector.

Eduardo André afirmou que a rede de distribuição de água potável à capital daquela província beneficia em breve de obras de requalificação que permitem também ligações domiciliárias.
O sistema para captação, tratamento e distribuição de água potável  à cidade do Uíge, em pleno funcionamento, tem capacidade de bombagem de 14 mil metros cúbicos por dia.
O director provincial do sector referiu que o único problema é o estado obsoleto da rede de distribuição de 150 quilómetros, que abastece mais de 53 mil habitantes da zona urbana e periferia da cidade do Uíge. “Estamos a trabalhar no sentido de reparar toda rede para que a população beneficie da água”, disse.Eduardo André lembrou que dez das 16 sedes municipais têm a água canalizada e que as excepções são a Damba, com as obras em fase de conclusão, e Bungo, Milunga, Quimbele e Maquela do Zombo, cujos trabalhos começam este mês. Outros 52 sistemas de abastecimento de água construídos em 12 comunas e povoações, fornecem água a mais de 392 mil pessoas.
Em construção estão 11 sistemas que após concluídos elevam para 600 mil o número de consumidores directos a partir das redes de distribuição na província.

Electricidade

Eduardo André garantiu não existirem grandes problemas quanto ao fornecimento de electricidade, que é assegurado pela barragem de Capanda, com uma oferta de 12 megawats para Uíge, 12 para Negage, oito para Maquela do Zombo e reservados 24 para as minas de Mavoio.
As outras sedes municipais são fornecidas por energia de grupos geradores numa potência operacional de 1000 Kv.
“Neste momento, estamos preocupados com as sedes comunais que não têm essa alternativa instalada, mas está em execução um projecto para a instalação de 600 postes com painéis solares”, sublinhou.A província tem em construção a pequena barragem de Lukixe II, que vai colmatar o défice provocado pela avaria na hidroeléctrica de Lukixe.

Tempo

Multimédia