Províncias

São esperadas boas colheitas

José Chaves| Andulo

Vários agricultores e camponeses contactados pelo Jornal de Angola no município do Andulo, província do Bié, mostraram-se, terça-feira, satisfeitos com as chuvas que caem abundantemen­te na região e esperam boas colheitas na próxima campanha agrícola 2012/2013.

Camponeses têm recebido vários apoios para aumentarem a produção no âmbito do programa do Executivo de combate à pobreza
Fotografia: JA

Vários agricultores e camponeses contactados pelo Jornal de Angola no município do Andulo, província do Bié, mostraram-se, terça-feira, satisfeitos com as chuvas que caem abundantemen­te na região e esperam boas colheitas na próxima campanha agrícola 2012/2013.
Individualmente ou agrupados em associações e cooperativas agrícolas, os camponeses já começaram a preparar a nova época, para a qual foram planificados 500 hectares distribuídos pelos sectores empresarial e camponês, envolvendo um total de 25 mil famílias.
Os camponeses do Andulo esperam colher grandes quantidades de milho, feijão, batata-doce, mandioca, soja, tanto para o seu sustento, como para amortizarem integralmente e, nos prazos acordados, os créditos que contraíram junto dos bancos comerciais. Logo pela manhã, as estradas e picadas do Andulo estão apinhadas de grupos de camponeses que, com enxadas aos ombros e sacos de mantimentos, se dirigem às lavras ou fazendas.
Mulheres com filhos às costas e jovens das zonas rurais e até mesmo pessoas idosas, como Daniel Nunes, 76 anos, caminham a passo rápido em direcção aos campos agrícolas da região.
Daniel Nunes vive na localidade de Chilesso, não muito distante da vila do Andulo e está satisfeito com as chuvas que se abatem diariamente sobre o Andulo. “Com esta regularidade de chuvas espero ter uma boa colheita no presente ano agrícola” diz, reconhecendo que a maioria dos camponeses está satisfeita com as chuvas deste ano. António Cunene é, também, camponês, mas vive na povoação de Chicumbi, arredores da vila do Andulo. Ao Jornal de Angola explicou que, com as chuvas regulares, está garantida uma boa safra.
“A produção do milho, feijão, batata-doce e diversas hortícolas aumentou muito”, refere António Cunene, que só espera agora que comerciantes de todo o país se desloquem ao Andulo para adquirirem a produção e revenderem noutras zonas que ainda têm falta de alimentos. Devido à fertilidade dos seus solos e às chuvas abundantes que permitem o cultivo de várias espécies, o município é considerado o celeiro da província do Bié.

Tempo

Multimédia