Províncias

Saúde acompanha 800 doentes com tuberculose

Mário de Carvalho | Cuito

Sessenta e um pacientes estão internados no Sanatório do Hospital Provincial do Bié com tuberculose pulmonar e 800 estão a fazer tratamento ambulatório, informou ao Jornal de Angola a directora da instituição, Simília Sanches.

Fotografia: DR

“A unidade hospitalar tem pequenas dimensões, pelo que internamos apenas do-entes em estado preocupante, que depois de duas semanas são submetidos a tratamento ambulatório”, disse a responsável.

Simília Sanches disse que nesta época do ano o Hospital Sanatório recebe mais de 15 pacientes por dia e 40 a 60 por semana. “Consideramos ser um número alto”, frisou, acrescentado que, a tuberculose é vista como uma doença que afecta as pessoas mais vulneráveis, “mas em Angola a realidade é outra”, pois trata-se da terceira enfermidade que mais mortes causa.
“Tirando a malária e os acidentes de viação, a tuberculose corresponde à terceira causa de mortes no país. Estamos a ver a doença como um caso normal, mas o quadro que apresenta é muito preocupante, sobretudo por estar no seio da população”, realçou.
A profissional de saúde disse que as pessoas afecta-das têm de continuar a fazer o tratamento correctamente, para evitarem a proliferação da doença. “São muitos os casos de abandono do tratamento, causados pela condição social dos pacientes infectados”, alertou.
“Muitos doentes começam o tratamento”, prosseguiu, “mas por terem uma vida precária desistem. Outros vivem distantes e por não terem recursos para se deslocaram constantemente ao hospital também desistem. O processo da cura da tuberculose é prolongado, pode durar de seis a dezoito meses, daí muitos doentes, depois de três meses de medicação, acham que já estão melhor e abandonam o tratamento.

Tempo

Multimédia