Províncias

Serviços de saúde no Bié dispõem de mais médicos

Delfina Victorino | Cuito

Um total de vinte e sete médicos provenientes de diversas regiões do país já está a trabalhar nos nove municípios da província do Bié, reforçando desta forma a rede sanitária e a assistência médica, afirmou ontem, na cidade do Cuito, o director provincial da Saúde.

Atendimento clínico conhece nova dinâmica com a integração de novos médicos na região
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

João Campos Cacungula afirmou que a maior parte dos novos médicos é formada pelas universidades nacionais, com excepção de um que veio de Cuba, facto que orgulha o país.
O director provincial da Saúde no Bié assegurou que os municípios do Cuito, Chinguar, Chitembo, Cunhinga, Andulo, Nharêa, Catabola, Cuemba e Camacupa reforçaram a equipa médica com a chegada de novos médicos, distribuídos pelo Ministério da Saúde.
João Campos Cacungula disse que a meta é atingir 36 médicos para a província do Bié, que vão chegando paulatinamente para reforçar a rede sanitária local.
O governador da província do Bié, Boavida Neto, reconheceu a prontidão dos jovens em trabalhar em qualquer localidade do país.
Boavida Neto salientou que “é um orgulho pelo facto dos novos jovens médicos serem formados pelas universidades nacionais e têm, a partir desta altura, a oportunidade de colocar os seus conhecimentos à prova, num exercício de aliar a teoria à prática.”
O governante exortou os novos médicos a trabalharem com as dificuldades e necessidades existentes nas unidades sanitárias de todos os municípios, desde a falta de meios técnicos a outros, e espera a contribuição dos profissionais de saúde, na melhoria da assistência à população.
Boavida Neto argumentou que o encontro realizado pelo governo da província com os novos médicos consiste em aproximar os profissionais de saúde em busca de maior interacção.
O governante aclarou que melhorar a assistência nas sedes municipais e ganhar experiência com os estrangeiros para assumir maior responsabilidade deve ser o papel de todos os médicos. />Para o governante, o investimento na formação de saúde, apostado pelo Executivo angolano, é uma das maiores riquezas que o país vai ganhando, com a extensão de profissionais em várias localidades.

Registo de nascimento
Pelo menos, 22.964 cidadãos beneficiaram de registo de nascimento gratuito a nível da província do Bié, no primeiro semestre do corrente ano, anunciou segunda-feira, na cidade do Cuito, o delegado provincial da Justiça e dos Direitos Humanos em exercício, Aldino Gil Salumbo.
O responsável provincial avançou que a aquisição dos referidos documentos pessoais decorreu no âmbito do processo de "Registo Gratuito", decretado pelo Governo Central, e abrangeu 13. 455 crianças dos zero aos 13 anos e 9.509 cidadãos maiores de 14 anos.
Aldino Gil Salumbo informou igualmente que o sector da Justiça instalou postos de registo nas administrações municipais e comunais, nas maternidades e nos centros maternos infantis da província, para que se efectivasse o programa de registo.
No primeiro semestre do ano passado, foi registado um total de 18.936 cidadãos na província do Bié.
O registo de nascimento é uma das principais prioridades do Executivo, daí ter sido criada uma estratégia que visa o registo gratuito de crianças e promover esta cultura entre as famílias.
Dentro deste programa, o Executivo criou ainda mecanismos que servem para facilitar o acesso dos cidadãos ao registo, o que obrigou à instalação e expansão dos serviços de registo civil em diversas localidades, com grande incidência sobre as comunidades mais longíquas. Com isso, milhares de cidadãos puderam adquirir, nos últimos anos, o registo de nascimento.

Tempo

Multimédia