Províncias

Transportadora rodoviária altera rota temporariamente

José Chaves | Cuito

A  empresa de transportes rodoviários inter-provincial e urbanos MACON alterou a sua rota Cuito/Luanda, no princípio do ano, apurou ontem o Jornal de Angola junto da representação no Bié.

A alteração temporária no itinerário Cuito/Luanda surge em função do mau estado da via
Fotografia: Estanislau Costa

A alteração temporária no itinerário Cuito/Luanda deve-se ao mau estado da estrada nacional 120, nos troços Cuito/Alto-Hama/Waco-Cungo/Quibala/Dondo.
O avançado estado de degradação da estrada, principalmente entre as localidades de Waco-Cungo e Dondo (província do Cuanza Norte), está na base da suspensão temporária da anterior rota.
Agora, a circulação é feita na estrada nacional que liga o Cuito/Alto-Hama/Lunduimbale/Sumbe/Luanda.  Fundada a 25 de Maio de 2001, a MACOM possui uma frota operacional de 588 autocarros, com 2.645 postos de trabalho directos e 500 indirectos e opera em todo o país.
Automobilistas que circulam na estrada que liga Cuito a Luanda mostram-se preocupados com a degradação do referida via.
Disseram que conduzir nas actuais condições, exige muita prudência, principalmente à noite.
Manuel Alexandre, taxista que faz a rota Cuito/Luanda, apontou o troço Waco-Cungo/Dondo como o mais degradado.
“Circular na estrada Cuito/Luanda exige muita cautela por parte dos automobilistas. Muitos buracos estão a surgir ao longo da estrada, principalmente na faixa Waco-Cungo/Quibala/Dondo”, referiu.
No troço entre Quibala e Dondo, acrescentou, o trânsito está difícil, porque a estrada apresenta buracos profundos, obrigando os automobilistas a utilizarem uma única faixa de rodagem para os dois sentidos. Segundo Júlio Gomes, também automobilista, o tempo de viagem entre as duas localidades (Cuito/Luanda) passou de 8 para 14 horas.

Tempo

Multimédia