Províncias

Via Cuito/Cunje com circulação interrompida

João Constantino e delfina victorino | Cuito

Uma ravina de grandes proporções interrompeu a circulação na estrada que liga à cidade do Cuito à comuna do Cunje, na província do Bié. Há três semanas que os automobilistas estão impossibilitados de circularem no referido trajecto, que tem uma extensão de sete quilómetros.

Uma ravina de grandes proporções interrompeu a circulação na estrada que liga à cidade do Cuito à comuna do Cunje, na província do Bié. Há três semanas que os automobilistas estão impossibilitados de circularem no referido trajecto, que tem uma extensão de sete quilómetros.
O director provincial das Obras Públicas do Bié, José Chatuvela, afirmou que as autoridades locais já contrataram uma empresa que está a trabalhar na estrada, com vista a repor a circulação rodoviária.
“Os trabalhos de contenção da ravina e reparação da estrada estão a correr bem. A empresa contratada está a trabalhar dentro dos prazos acordados”, disse José Chatuvela.
A direcção das Obras Públicas no Bié está empenhada em combater as grandes ravinas que ameaçam destruir bairros na cidade do Cuito e arredores.
O director das Obras Públicas confirmou a existência de nove ravinas de grandes proporções, para serem estancadas mas isso vai exigir das autoridades esforço financeiro considerável.
Revelou que existem nove ravinas. A contenção da maior pode custar dez milhões de dólares, incluindo a requalificação da localidade. A ravina que ameaçava cortar a circulação entre a cidade do Cuito e o Aeroporto Joaquim Capango, no bairro Catemo, está totalmente estancada e os automobilistas já circulam com normalidade na via.

Tempo

Multimédia