Províncias

Vítimas de minas no Bié no mercado de trabalho

Mais de 1.500 vítimas de minas no beneficiaram, até Janeiro, na província do Bié, de acções de formação profissional e foram inseridas no mercado de trabalho.

Deficientes recebem formação no âmbito do programa de combate ao desemprego
Fotografia: Jornal de Angola

Matias da Costa |Cuito Mais de 1.500 vítimas de minas no beneficiaram, até Janeiro, na província do Bié, de acções de formação profissional e foram inseridas no mercado de trabalho.
O anúncio foi feito, no Cuito, pelo responsável da comissão nacional intersectorial de desminagem e ajuda humanitária (CHNIDA)
Norberto Quintas disse que as   vítimas assistidas também receberam máquinas de costura, entre e outros instrumentos de trabalho, além de motorizadas.
Alguns deles, acrescentou, frequentam a escola de desportos adaptados na província. O responsável da CHNIDA enalteceu igualmente o esforço conjunto das instituições estatais na realização de várias acções sociais em benefício das vítimas e revelou que decorre um programa de autoconstrução dirigida desenvolvido pela direcção provincial da Assistência e Reinserção Social.
Este ano, referiu, calcula-se que cerca de duas mil pessoas, algumas provenientes de outras províncias, sejam assistidas.
A CHNIDA também desenvolve acções em parceria com as brigadas de desminagem da Comissão Executiva, Casa Militar e da 4ª      divisão das FAA do Bié nos pólos industriais do Cunje e Chinguar e nas reservas fundiárias do Cuemba, Cunhinga, Nharea e Chitembo.

Tempo

Multimédia