Províncias

Bilhetes de Identidade emitidos com facilidade

José Chaves

Um total de 3.555 Bilhetes de Identidade foram emitidos pelos Serviços Municipais de Identificação Civil em Nharêa, Bié, durante o ano transacto, anunciou, naquela municipalidade, o chefe do sector de Identificação Civil e Criminal.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Abel Sataleia disse que do total de bilhetes emitidos 2.406 foram de primeira via e como tal gratuitos. Durante o período em referência foram também emitidos 991 registos criminais e reconhecidos centenas de documentos.
O responsável salientou que os documentos foram emitidos ao abrigo do Despacho Presidencial n.º 80/13 de 5 de Setembro, que isenta o pagamento de emolumentos para os cidadãos angolanos que efectuam pela primeira vez  o registo de nascimento e requerem o BI.
O responsável apelou à população da região para que se desloque à loja dos registos em Nharêa para a obtenção de documentos, tendo em conta a celeridade que se regista no processo.
O posto de emissão do Bilhete de Identidade do município da Nharêa entrou em funcionamento em  2013, no âmbito do programa de modernização do sector da Justiça e funciona com dois emissores.
Segundo Abel Sataleia, o número de documentos emitidos deve-se à celeridade empreendida pelos funcionários do sector na recolha, análise e triagem dos documentos dos solicitantes, assim como na inserção dos dados no Arquivo Nacional de Identificação Civil, para atribuição do número identificativo e a respectiva impressão digital.
O responsável acrescentou que a instituição atendeu também casos de cidadãos das províncias de Malanje, Cuanza-Sul e dos municípios de Andulo, Catabolae Cuemba, no Bié.
A população dos municípios do interior está satisfeita com a extensão dos serviços de emissão do BI e do registo civil às suas localidades.
Mario Canganjo, 47 anos,  natural da aldeia de Etalala, louvou a iniciativa e pediu às autoridades para levarem outros serviços sociais básicos junto da população.
O atendimento no posto de emissão do BI é “normal”, apesar dos problemas com a falta de corrente eléctrica, que, as vezes, dificulta o trabalho dos funcionários.
Marcelina Essanjo,  23 anos, diz estar feliz por ter obtido o seu Bilhete de Identidade, com o qual vai poder resolver muitos problemas.“Agora já posso tratar a cédula de nascimento do meu bebé recém-nascido”, disse.

Tempo

Multimédia