Províncias

Buco Zau com escola superior para formação agro-florestal

Leonor Maxila|Cabinda

O município madeireiro de Buco Zau vai contar a partir do próximo ano lectivo com um centro de ensino e de investigação no ramo da engenharia agro-florestal anunciou, ontem, em Cabinda.

Cidade mais a Norte do país tem boas perspectivas para o ensino superior
Fotografia: JA

O município madeireiro de Buco Zau vai contar a partir do próximo ano lectivo com um centro de ensino e de investigação no ramo da engenharia agro-florestal anunciou, ontem, em Cabinda, o reitor da Universidade 11 de Novembro, Kianvu Tamo.
A par do município de Buco Zau, onde vai ser instalado o centro de ensino de investigação, Kianvu Tamo disse também que instituições académicas similares vão ser criadas nas cidades de Cabinda, Soyo e Mbanza Congo já que são localidades da região académica.
Kianvu Tamo, que falava durante uma conferência de imprensa, explicou que na cidade de Cabinda, pelo facto de ser a capital provincial, é ministrado o curso de ciências da saúde, nas vertentes de laboratório clínico e medicina.
Na província do Zaire, município do Soyo, o reitor Kianvu Tamo garantiu que a Universidade 11 de Novembro vai ainda colocar à disposição da população estudantil uma outra instituição de ensino superior ligada ao ramo da engenharia industrial, enquanto em Mbanza Congo ficam as ciências humanas para as disciplinas de História e Antropologia.
Relativamente à carência de docentes, Kianvu Tamo garantiu que a situação vai ser ultrapassada nos próximos tempos, com a realização de cursos de mestrado para formação de formadores, projecto que depende de uma autorização da Secretaria de Estado do Ensino Superior.

Tempo

Multimédia