Províncias

Aumentaram os pacientes com paludismo

Pelo menos 7.777 casos de malária foram notificados de Janeiro a Abril deste ano, no município de Buco Zau, província de Cabinda, dos quais oito resultaram em óbito, informou ontem o responsável da Saúde na circunscrição.

Moisés Mavambo disse à Angop que esta cifra representa um aumento considerável em comparação ao mesmo período do ano anterior, em que foram registados 2.931 casos e dois óbitos.
O responsável salientou que concorrem para o aumento de casos de paludismo a existência de focos de lixo acumulado, água estagnada e capim em volta das residências.
Moisés Mavambo garantiu, no entanto, haver reservas suficientes de fármacos para fazer face à doença, em todas as unidades sanitárias do município de Buco Zau.
O técnico acrescentou que no quadro do programa “Aldeia saudável” foram recrutados candidatos para serem formados como activistas comunitários.
Estes agentes vão intensificar as acções de sensibilização junto das comunidades, para que as populações acatem as normas de prevenção da doença, salienta o responsável da Saúde de Buco Zau.
O responsável apelou os habitantes para o cumprimento das orientações dos agentes, por serem medidas que ajudam a diminuir a incidência do paludismo nas famílias.
Moisés Mavambo garantiu ainda que as autoridades governamentais vão continuar a equipar as unidades sanitárias com meios técnicos para que se dê respostas adequadas aos casos da doença.

Tempo

Multimédia