Províncias

Autoridades reforçam prevenção da cólera

Leonor Mabila | Cabinda

As autoridades sanitárias da província de Cabinda estão a reforçar as acções de prevenção de doenças, principalmente da cólera, tendo em conta a proximidade da região com o município do Soyo, no Zaire, anunciou ontem o chefe do departamento local da Saúde Pública.

Vista parcial da cidade de Cabinda onde são reforçadas as medidas de prevenção da cólera
Fotografia: Rafael Tati | Cabinda-Edições Novembro

José Fernando Cuiku referiu que, desde o final de semana, o sector da Saúde em Cabinda promove uma mega campanha de sensibilização “porta a porta” sobre os cuidados a ter para a prevenção da cólera.
A referida campanha abrange todos os bairros da cidade de Cabinda, com maior incidência no Primeiro de Maio, Uneca, Chiweca, 4 de Fevereiro, Lombolombo e Luvassa Sul, zonas consideradas de maior concentração de águas paradas produzidas pelas chuvas e de outros resíduos.
Com a campanha, explica José Fernando Cuiku, as autoridades provinciais pretendem melhorar o saneamento básico e garantir a desinfestação de cacimbas e de tanques de água não tratadas e de fossas cépticas.
A actividade de sensibilização e de desinfestação está a ser assegurada por técnicos da secretaria provincial da Saúde e da Cruz Vermelha Internacional (CVI), com a participação de autoridades religiosas, coordenadores de bairros e mais de 50 escuteiros.
O chefe do departamento da Saúde Pública de Cabinda pediu a colaboração efectiva da população para que o objectivo da campanha, prevenir a cólera entre os habitantes de Cabinda, seja alcançada.
José Fernando Cuiku disse que, apesar da província não notificar ainda algum caso da cólera como no Soyo, onde há um surto que já fez vítimas mortais, a secretaria da Saúde elaborou uma série de actividades de prevenção. O responsável sanitário avançou que o Hospital 28 de Agosto é a unidade indicada para o tratamento de eventuais casos de cólera que possam surgir na província.
À população, o chefe de departamento pediu o reforço das medidas de prevenção como a higiene pessoal, beber água fervida ou tratada com lixívia, lavar as mãos antes e depois das refeições e usar latrina ou quarto de banho, para se evitar defecar ao ar livre.

Combate aos maus hábitos


O responsável disse ainda ser necessário que as pessoas lavem as frutas, coloquem o lixo em sacos plásticos e deitem-no no contentor ou em local apropriado. A supervisora provincial da Promoção Social do departamento da Saúde Pública de Cabinda, Juliana Wini, apelou à população para evitar os maus hábitos, com destaque para o consumo de água vendida em sacos de plástico na rua, defecar ao ar livre ou em sacos para depois deitá-los em valas.
Juliana Wini aconselhou a população a ter boas práticas de higiene, principalmente nesta fase chuvosa. “Vamos desinfectar a água de consumo, limpar a casa, lavar a roupa e a nossa loiça com lixívia”, aponta.
A supervisora falou ainda dos principais sintomas da cólera, tendo destacado as fortes dores de barriga, seguida de diarreia com fezes de cor semelhante a de água de arroz, além de vómitos. “Quando notar esses sintomas, deve-se beber muita água e dirigir-se rapidamente ao posto, centro de saúde ou hospital mais próximo de casa”, alerta.

Tempo

Multimédia