Províncias

Cabinda aposta no desenvolvimento

Bernardo Capita | Cabinda

A cidade de Cabinda, sede administrativa da província com o mesmo nome, comemora amanhã 61 anos, desde que, em 1956, deixou de ser vila Amélia.

Vista parcial da cidade de Cabinda onde estão em curso diversas acções de impacto social
Fotografia: António Soares | Edições Novembro

De lá para cá, a cidade foi registando várias transformações, quer de domínio demográfico, com forte incidência no seu crescimento populacional e social, quer fundamentalmente na vertente de novas infra-estruturas, que hoje dão o suporte para o funcionamento de várias instituições públicas e privadas, com particular realce para escolas, postos de saúde, centros médicos e hospitais de referência, rede viária, sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável, fontes geradoras de energia eléctrica com elevada capacidade de produção, portos e aeroportos, parques de lazer e de entretenimento, entre outros empreendimentos de incidência capital, não só na vida dos seus 624.646 mil habitantes, mas também na própria imagem da cidade.
O crescimento social que hoje a cidade de Cabinda regista não é ainda o almejado por grande franja dos seus habitantes, se comparado com o nível de desenvolvimento de algumas cidades capitais de províncias do nosso país.
O administrador municipal de Cabinda, Arnaldo Tomás, não corrobora esta opinião, referindo que Cabinda, sobretudo o município sede, desde a Independência Nacional, tem sido sempre privilegiada em projectos sociais, para a melhoria do seu crescimento e desenvolvimento económico sustentável, “apesar de ter conhecido vários momentos de instabilidade política”. Para o administrador Arnaldo Tomás Puati, os problemas de que enferma o município de Cabinda estão devidamente identificados e apontou os que se referem ao saneamento básico, recolha de lixo, ordenamento do território, melhoria das estradas e vias de acesso aos bairros periféricos.
O administrador Arnaldo Tomás Puati tem consciência de que muita coisa há ainda por se fazer na cidade de Cabinda, para se elevar a auto  estima dos seus habitantes, mas, para o sucesso desse desiderato, considera imprescindível a colaboração e a intervenção  de todos os munícipes. O programa dos festejos do 61º aniversário da cidade de Cabinda prevê, entre outras actividades, campanhas massivas de limpeza, recolha de lixo e embelezamento, poda de árvores, seminários sobre a gestão do lixo e saneamento básico do meio, sobre cuidados e prevenção da cólera, feira de exposição de produtos locais, maratonas dançantes em vários bairros e espectáculo músico-cultural com artistas oriundos da capital do país e locais.
O ponto mais alto dos festejos, segundo o programa, será a gala de homenagem a algumas personalidades locais, que têm contribuído para o desenvolvimento socioeconómico do município, com a entrega de diplomas de mérito, e a deposição de uma coroa de flores junto do túmulo do soberano “Muangoyo”,   rei do Reino do Ngoyo.

Tempo

Multimédia