Províncias

Cabinda com mais professores

Bernardo Capita | Cabinda

A escola de Professores de Futuro, no município de Cacongo, em Cabinda, colocou 53 professores de nível médio no mercado de emprego, com o perfil pedagógico para leccionar em zonas rurais.

Professores vão ensinar nas zonas rurais
Fotografia: Rafael Tati|Cabinda

A escola de Professores de Futuro, no município de Cacongo, em Cabinda, colocou 53 professores de nível médio no mercado de emprego, com o perfil pedagógico para leccionar em zonas rurais.
Dois anos e seis meses foi o tempo que demorou a formação dos novos professores, que, com a graduação de técnicos médios no ramo de ciências pedagógicas, estão agora aptos a ministrar aulas no ensino primário.
A formação incluiu estágios profissionais em duas províncias do país, sendo 31 estudantes em Cabinda e 22 na Lunda-Norte.
O director da Escola de Professores de Futuro, Flaviano da Costa, pediu aos finalistas para pautarem por iniciativas pedagógicas, traduzidas em boas práticas educativas e de combate à pobreza.
 “Estamos orgulhosos em colocar no mercado de trabalho os novos professores para servirem a sociedade”, disse, acrescentando que os finalistas, no desempenho das suas actividades, devem sempre ter em conta os “princípios de ética pedagógica”, para que os alunos tenham uma sólida preparação científica, técnica, cultural e física e uma elevada educação moral e cívica.
A governadora provincial de Cabinda, Aldina da Lomba, considerou de relevante o acto de graduação de novos professores, porque, reforçou, “marca a inserção no mercado de trabalho de novos professores”. Para a governante, o sector da educação desempenha um papel preponderante no desenvolvimento da província, pois “sem formação a população não consegue interpretar correctamente os fenómenos à sua volta”. Aldina da Lomba reiterou o ensino e aprendizagem como via de se erradicar a fome no país, pois, segundo acrescentou, só com uma boa formação académica “os angolanos serão capazes de explorar as riquezas que o país oferece”.
Os novos professores manifestaram a sua plena disposição de colaborarem com o governo da província no processo de ensino e aprendizagem, em qualquer localidade onde forem colocados. Numa mensagem lida pela finalista Luísa Elsa, os professores pediram ao governo da província facilidades na sua inserção no mercado de trabalho.

Tempo

Multimédia