Províncias

Chevron é notificada por derrame

Manuela Gomes |

O Ministério do Ambiente vai notificar a companhia Chevron pelo derrame descoberto nos dias 10 e 17 de Setembro na costa de Cabinda, informou ontem em Luanda o  secretário de Estado para as Novas Tecnologias e Qualidades Ambientais.

Secretário de Estado Syanga Abílio anunciou ontem as decisões do Comité Técnico Executivo
Fotografia: Paulo Mulaza

Syanga Abílio, que falava à imprensa no final da reunião extraordinária do Comité Técnico Executivo para o Plano Nacional de Contingência contra Derrames, disse que no espaço de um mês tiveram lugar cerca de três derrames em Cabinda e Soyo e o Ministério do Ambiente deslocou equipas técnicas para visitas de constatação e acompanhamento da situação. 
A notificação à Chevron, esclareceu, não significa uma responsabilização à empresa, mas vai servir para despoletar o processo de negociação, enquanto se espera pelos estudos e análises realizadas pela Chevron sobre o sucedido.
“Há informações de que o operador que está na área declina e descarta qualquer responsabilidade sobre o derrame. Sustenta esta sua posição, com um relatório de um laboratório interno que terá feito o teste de ADN do crude derramado”, avançou Syanga Abílio, que lamentou o facto de, até agora, não ter sido possível ter acesso às análises laboratoriais do petróleo descoberto na costa de Cabinda.
A Chevron já negou o seu envolvimento no derrame. Se se confirmar, sublinhou o secretário de Estado, é possível que se esteja perante um derrame transfronteiriço. “E se for, a abordagem será diferente, partindo de uma informação ao Ministério das Relações Exteriores para que, por sua vez, notifique a RDC, que vai responsabilizar as empresas que estão a operar naquele país”, esclareceu.
Syanga Abílio apelou para que se desdramatize a situação à volta do derrame, embora o assunto seja grave, tendo em conta algumas situações que ocorreram, como a danificação das redes dos pescadores e o impacto na comunidade. O secretário de Estado destacou, neste particular, a colaboração da Chevron, que apoiou na limpeza das praias e noutros serviços.

Legislação aplicáv el


O secretário de Estado para as Novas Tecnologias e Qualidade Ambiental lembrou que Angola possui legislação para responsabilizar os prevaricadores dos crimes ambientais. “Sabem que o nosso país é produtor de petróleo e os riscos podem continuar, mas temos os instrumentos para resolver essas questões”, disse.  Existe um laboratório na província de Cabinda para análises. Relativamente ao equipamento que pode identificar o ADN do óleo, lamentou o facto de o país ainda não ter capacidade para este tipo de análises. “Ainda não temos este tipo de equipamentos, mas  temos a alternativa do envis de amostras para fora do país”, disse.  A reunião do Comité Técnico Executivo para o Plano Nacional de Contingência contra Derrames serviu para a tomada de decisões não só sobre o ocorrido na costa de Cabinda, mas também sobre outros casos já verificados.

Tempo

Multimédia