Províncias

Chibodo e Santa Catarina contam com novas centrais

Bernardo Capita | Cabinda

Os trabalhos de instalação de duas novas centrais térmicas de 40 megawatts, para abastecer as localidades de Chibodo e Santa Catarina, que desembocam na fronteira do Yema Sul da cidade de Cabinda, decorrem a ritmo satisfatório e ficam concluídos ainda este ano.

Uma comitiva do Ministério da Energia e Águas avaliou o andamento dos trabalhos
Fotografia: Rafael Tati | Cabinda

Os trabalhos de instalação de duas novas centrais térmicas de 40 megawatts, para abastecer as localidades de Chibodo e Santa Catarina, que desembocam na fronteira do Yema Sul da cidade de Cabinda, decorrem a ritmo satisfatório e ficam concluídos ainda este ano.
Para avaliar o andamento das obras e outros aspectos ligados ao plano de emergência que prevê a desactivação da potência produzida até aqui pela empresa “Agrecko”, esteve na quarta-feira em Cabinda uma comitiva do Ministério de Energia e Águas, chefiada pelo director Nacional de Energia, Belsa da Costa.
Antes de constatar a evolução das obras de instalação das duas novas centrais térmicas, a comitiva manteve um encontro com a governadora Aldina da Lomba, durante o qual foi apresentado o actual quadro em termos de produção e abastecimento de energia eléctrica às populações de Cabinda.
Belsa da Costa afirmou que o quadro é satisfatório, apesar de algumas contrariedades de ordem técnica registadas recentemente na central térmica de Malembo, de 70 mega watts, inaugurada há pouco tempo pelo Presidente da República, que originaram a restrição temporária no fornecimento de energia eléctrica a algumas zonas da cidade de Cabinda.  O responsável revelou estar em curso, a nível do sector da ENE e no âmbito do plano de emergência, a instalação de contadores pré pagos, para incutir à população o espírito de racionalização de consumo de energia eléctrica.

Tempo

Multimédia