Províncias

Crescimento social é visível

André Guto | Cabinda

A administradora municipal adjunta de Cabinda afirmou a sua satisfação com o crescimento social da cidade, que no dia 28 completa 58 anos de existência.

Vista parcial da cidade de Cabinda onde estão em curso diversas acções de impacto social
Fotografia: António Soares | Cabinda

Maria Fernanda Tati, que discursava na abertura das festas da cidade, que decorreu defronte à sede da Administração Municipal, com a presença da governadora Aldina da Lomba, afirmou que, apesar de haver ainda muito trabalho por fazer, a qualidade de vida dos munícipes tem estado a melhorar significativamente. Para tal, têm contribuído os investimentos feitos pelo Executivo e pelo Governo Provincial, em áreas como o saneamento básico, saúde, educação, água, energia e habitação, entre outros.
Com todos esses empreendimentos sociais, disse a administradora Maria Fernanda Tati, “a auto estima dos habitantes da cidade de Cabinda tem estado a e elevar-se e assim a cidade torna-se um espaço bom para se viver em paz”.
A reabilitação das ruas secundárias e terciárias em muitos bairros da cidade, incluindo estradas que a ligam ao resto da província, e a construção de centralidades habitacionais são, entre outros, projectos referidos pela administradora adjunta, que hoje dão uma outra beleza arquitectónica à sede municipal de Cabinda.
Ao fazer um breve historial sobre a cidade, referiu que inicialmente tinha a categoria de vila e foi elevada à categoria de cidade a 28 de Maio de 1956, sem esquecer o longínquo ano de 1883, em que era uma autêntica povoação junto da extensa baía do Oceano Atlântico. Depois de várias metamorfoses, Cabinda teve inúmeras designações, a começar por Porto Rico, Vila Amélia e Tchiouwa Tchimuisi.

Tempo

Multimédia