Províncias

Demolição de casas arranca brevemente

André Guto| Cabinda

O governo da província de Cabinda vai demolir, em breve, as casas construídas junto às valas de drenagem, para facilitar a circulação de máquinas e camiões durante os trabalhos de limpeza e recolha de resíduos sólidos aí depositados, soube, ontem, o Jornal de Angola. 
Nos bairros a "Luta Continua" e "4 de Fevereiro" alguns moradores construíram as suas habitações em áreas consideradas de risco.

O governo da província de Cabinda vai demolir, em breve, as casas construídas junto às valas de drenagem, para facilitar a circulação de máquinas e camiões durante os trabalhos de limpeza e recolha de resíduos sólidos aí depositados, soube, ontem, o Jornal de Angola. 
Nos bairros a "Luta Continua" e "4 de Fevereiro" alguns moradores construíram as suas habitações em áreas consideradas de risco. Ainda não foi revelado o número das que vão ser demolidas, mas sabe-se que cerca de 300 famílias, incluído as que vivem próximo das ravinas da aldeia de Tchizo, serão realojadas na aldeia de Zongolo, localidade onde o governo provincial está a criar as condições para a auto-construção dirigida.

Auto-construção

Às famílias a realojar serão distribuídos lotes de terreno e fornecido material de construção, segundo garantiu ao Jornal de Angola a secretária provincial do Ordenamento do Território e Ambiente, Maria Tati.
O governador da província, Mawete João Baptista, visitou há dias as valas de drenagem de águas, para constatar o grau de perigosidade e o estado de saneamento de alguns bairros da periferia da cidade.
Na altura, Mawete João Baptista descreveu como "preocupante" o saneamento dos bairros que visitou e de lastimável o estado das valas, transformadas em autênticos depósitos de lixo, impedindo o curso normal das águas e, com isso, o surgimento de muita imundice.
"As construções anárquicas que as populações fizeram à beira de valas de drenagem, para além de dificultarem a sua manutenção também criam constrangimento ao trabalho de requalificação da cidade, que o governo pretende desenvolver", disse o governador, acrescentando que estão em vista a reabilitação e construção de várias infra-estruturas de impacto social, para melhorar o nível de vida da população.

Tempo

Multimédia