Províncias

Derrame de petróleo afecta zona marítima

O derrame de petróleo detectado na zona marítima de Cabinda afectou as costas balneárias de Mandarim, Mpelas, Tchinchoho e Tsitsi, na região entre Massabi e Lândana.

Um comunicado do Ministério do Ambiente, divulgado ontem, informa que uma equipa de técnicos trabalha para reduzir os efeitos negativos que o derrame  causou ao meio.
“O Ministério do Ambiente acompanha com preocupação as informações sobre o caso detectado no dia 20 deste mês, na província de Cabinda, relativo à presença de crude (mancha de petróleo) nas águas marítimas de Cabinda”, refere o documento. Paralelamente aos  trabalhos relativos à redução dos efeitos negativos causados pelo derrame, estão também a ser desenvolvidos, em parceria com as operadoras petrolíferas, acções de limpeza das zonas afectadas para a contenção do alastramento do vazamento de crude a outras  zonas.
O Ministério do Ambiente diz que tem realizado um conjunto de acções estruturadas para prevenir  a ocorrência de eventuais casos de contaminação do meio, resultantes da actividade humana sobre a natureza.
O documento admite que a abordagem desta problemática envolve a participação de empresas petrolíferas, que devem desempenhar as suas actividades com zelo, profissionalismo e dedicação, de modo a que a actividade humana sobre a natureza não cause danos ao ambiente, tão pouco prejudique os interesses económicos e sociais das comunidades locais.

Tempo

Multimédia