Províncias

Desenvolvimento e combate à pobreza são abordados em jornadas científicas

Temas como "crescimento, desigualdade e pobreza","empreendedorismo como factor do desenvolvimento e combate à pobreza” e  “contribuição dos bancos na erradicação da pobreza”, estiveram no centro dos debates das III Jornadas Científicas da Faculdade de Economia da Universidade 11 de Novembro (UON), na província de Cabinda, realizadas sexta-feira.

Universitários e representantes da sociedade civil estiveram reunidos para discutir temas que promovam o crescimento da cidade
Fotografia: Jornal de Angola

Temas como "crescimento, desigualdade e pobreza","empreendedorismo como factor do desenvolvimento e combate à pobreza” e  “contribuição dos bancos na erradicação da pobreza”, estiveram no centro dos debates das III Jornadas Científicas da Faculdade de Economia da Universidade 11 de Novembro (UON), na província de Cabinda, realizadas sexta-feira.
Sob o lema “Reflexões sobre estratégias de combate à fome”, o evento, que decorreu no anfiteatro da UON, serviu para estimular a investigação científica e provocar uma maior interacção entre docentes e discentes.  “A persuasão das empresas a adopção de comportamentos socialmente responsáveis - um pressuposto para o desenvolvimento local em Angola” e o “combate à pobreza em Angola, história e resultados”, figuram igualmente entre os temas abordados.
Na abertura das jornadas científicas, o vice-governador da província de Cabinda para o Sector Económico, Romão Macário Lembe, disse que se “Angola hoje tem a ousadia de falar em combate à fome e à pobreza, desenvolvimento e modernização, a chave está na universidade, no corpo docente e discente, dentro de uma estratégia de ensino e aprendizagem que privilegia a investigação científica”.
Por sua vez, o vice-decano da Universidade 11 de Novembro para a cooperação, Manuel Sita Gomes, frisou que actividades como esta vão agregar valores à formação académica dos participantes, porque há aspectos que não são tratados na sala de aulas devido ao tempo.
Explicou que, durante as jornadas, é possível ouvir, acompanhar e debater diversos assuntos, por se tratar de um espaço privilegiado para os professores apresentarem aquilo que têm desenvolvido como pesquisa e ao estudante universitário permite participar nas discussões que vão acrescentar conhecimentos à sua formação.
A Faculdade de Economia da Universidade 11 de Novembro lecciona actualmente cursos de mestrado em Gestão de Empresas, três cursos de licenciatura em Gestão de Empresas, Economia e Contabilidade e Auditoria, segundo o decano.
Conta com 44 docentes, cinco investigadores, 33 alunos no curso de mestrado, 1.154 nos de licenciatura e 47 trabalhadores não docentes. Até o ano lectivo de 2011, a instituição colocou 171 licenciados em Gestão de Empresas e Economia no mercado de trabalho.

Tempo

Multimédia