Províncias

Destroços do navio Sallos são removidos

Joaquim Suami | Cabinda

Os destroços do navio Sallos, que naufragou em Maio do ano passado, na costa marítima de Cabinda, começam a ser removidos no final deste mês, anunciou ontem o presidente do Conselho de Administração do Porto de Cabinda.

Nazareth Neto disse que os trabalhos de remoção dos destroços do navio Sallos, que saía da cidade de Ponta Negra, República do Congo, com 150 contentores a bordo, vão contar com a participação da empresa alemã Kole, a vencedora do concurso internacional promovido pelo armador da embarcação, de origem belga, e de uma seguradora estrangeira, num orçamento avaliado em 30 milhões de dólares.O processo da operação da remoção dos destroços do navio Sallos termina em finais de Junho e vai ser acompanhado pela Capitania de Cabinda e Marinha de Guerra Angolana, para impedir que pescadores circulem na zona das operações.
Além destas instituições, a operação vai contar ainda com a participação do Ministério do Ambiente, para controlar possíveis derrames, e dos Serviços de Defesa e Segurança.
O presidente do Conselho de Administração do Porto de Cabinda garantiu já a existência de uma parte dos equipamentos para a remoção dos destroços do navio Sallos, como plataforma com grua, rebocador e outros tipos de máquinas para os trabalhos de resgate.A bordo do referido navio encontram-se 16 técnicos que estão a trabalhar nas coordenadas e a fazerem a reavaliação do posicionamento dos contentores afundados no mar.
Além dos equipamentos que se encontram na zona do resgate, chegam dentro de 12 dias mais duas plataformas, para permitirem a remoção do navio naufragado a cerca de uma milha marítima, aproximadamente dois quilómetros até à costa.
O PCA do Porto de Cabinda assegurou, por outro lado,  que todos os importadores que perderam as suas mercadorias no navio Sallos vão ser indemnizados pelo armador da embarcação e pela sua seguradora, de origem britânica.

Tempo

Multimédia