Províncias

Diálogo permanente defendido em Cabinda

Bernardo Capita |

O governador da província de Cabinda vai incrementar em 2018 o processo de diálogo com os vários estratos da sociedade, para facilitar a identificação e a solução dos problemas que afectam a população.

Eugénio Laborinho, que falava na tradicional cerimónia de cumprimentos de fim de ano, no palácio do governo da província, afirmou que só dialogando com os vários estratos da sociedade, incluindo os cépticos, o governo poderá conhecer directamente os problemas das comunidades, para melhor poder desenvolver a província, no âmbito da governação participativa.
Para o governador Eugénio Laborinho, ninguém conhece melhor os problemas das comunidades do que aqueles que os vivem directamente, daí que, reforçou, a diversidade de opiniões deve ser encarada como forma democrática de participação da população no processo de desenvolvimento da província de Cabinda.
“É da diversidade de ideias que podemos muitas vezes encontrar solução para os problemas dos municípios, dos bairros e aldeias”, sublinhou o governador Eugénio Laborinho, acrescentando que, em 2018, a aposta será transformar a sociedade cabindense mais aberta, inclusiva e acima de tudo mais democrática.
Dentre os desafios traçados pelo governo da província para serem implementados em 2018, Eugénio Laborinho destacou a reestruturação orgânica e funcional do governo, que resultará na diminuição do número de secretarias (direcções) provinciais. De acordo com o governador, a reestruturação em causa tem como objectivo reforçar a capacidade interventiva dos órgãos da Administração Local, transferindo algumas competências para os municípios, que, progressivamente, passarão a “ser os centros privilegiados de implementação da acção governativa”.

Tempo

Multimédia